Doenças e sintomas

Orquite

homem na cama com orquite

Orquite é a inflamação dos testículos, que pode ser provocada por traumatismo, doenças infecciosas, entre outras causas.

 

Entende-se por orquite (orqueíte ou orquite testicular) a inflamação em um ou nos dois testículos, as glândulas sexuais responsáveis pela produção e maturação dos espermatozoides, e pela produção da testosterona, o hormônio sexual masculino.

A doença pode ser classificada em aguda ou crônica conforme a evolução e permanência dos sintomas. A forma aguda se distingue 1) pela ocorrência de dor forte que se irradia para a virilha e 2) pela sensação de peso nos testículos.

Veja também: Anomalias dos genitais masculinos

A orquite crônica costuma ser assintomática. Muitas vezes, essa ausência tem o inconveniente de retardar o início do tratamento, o que não é desejável para o prognóstico favorável da condição.

A orquite testicular pode surgir em qualquer idade. O mais comum é a inflamação acometer homens jovens e na idade adulta e, o menos comum, é surgir na infância, antes dos 10 anos.

Mesmo não interferindo na produção de testosterona, a orquite pode comprometer a fertilidade masculina, na medida em que afeta os órgãos que produzem os espermatozoides e fazem parte do sistema reprodutor.

 

Causas da orquite

 

Em alguns casos, orquite é uma doença de causa idiopática, ou seja, sua causa ainda não foi totalmente esclarecida. Já se sabe, porém, que a inflamação dos testículos pode ter diferentes agentes etiológicos responsáveis pelos sintomas. Constam, ainda, dessa lista: traumatismos (pancadas, chutes) na bolsa escrotal, infecções por vírus e bactérias, no trato urinário, por ISTs (como clamídia, gonorreia e sífilis), brucelose e tuberculose e a torção do testículo. Importante destacar que a infecção pelo vírus da caxumba (parotidite) representa causa comum nos episódios de orquite, uma vez que a elevação da temperatura nos testículos provocada pelo quadro inflamatório, compromete a espermatogênese (processo que ocorre no interior dos testículos, responsável pela formação e desenvolvimento dos espermatozoides), que pode acarretar lesões permanentes e esterilidade masculina em qualquer idade.

Veja também: Como reconhecer os sintomas da caxumba

 

Fatores de risco para orquite

 

São considerados fatores de risco para a orquite: 1) não ter recebido a vacina contra a caxumba; 2) ser portador de anormalidades congênitas e infecções recorrentes no trato urinário; 3) a prática de sexo desprotegido; 4) múltiplos parceiros sexuais; 5); histórico de ISTs; 6) e epididimite (inflamação do epidídimo, órgão que integra o aparelho reprodutor masculino, destinado ao armazenamento e maturação dos espermatozoides).

 

Sintomas da orquite

 

Os sinais e sintomas da orquite podem surgir de repente, sem causa aparente, durante a manifestação da doença ou com ela já está instalada. A intensidade varia de acordo com a gravidade da condição. Nos episódios causados pelo vírus da caxumba, eles surgem por volta de sete dias após o início dos sintomas nas glândulas salivares, que promovem inchaço e dor nas laterais do pescoço, na região entre a orelha e o queixo.

Dor que aumenta com o movimento, inflamação e inchaço que podem começar em um dos testículos e alcançar o outro, febre, mal-estar, calafrios, vômitos, náuseas, taquicardia, pele avermelhada (edema) na região do escroto, sinais de sangue no sêmen e na urina, dor durante o ato sexual, dificuldade de ereção e secreção purulenta na uretra, estão entre os vários sintomas possíveis da orquite, doença crônica que, apesar de assintomática, deixa os testículos sensíveis ao toque, durante muito tempo.

 

Diagnóstico da orquite

 

O diagnóstico da orquite baseia-se no exame clínico, no levantamento do histórico de saúde e no resultado de exames laboratoriais de sangue e de urina para avaliar a presença de distúrbios renais e urinários. Em caso de dúvida, além de esclarecer o quadro, o ultrassom com doppler colorido pode facilitar o diagnóstico diferencial com outras patologias, como a torção testicular, por exemplo.

 

Tratamento da orquite

 

O tratamento da orquite tem por objetivo o alívio dos sintomas e a correção do agente etiológico responsável pela inflamação e inchaço dos testículos. Em alguns casos, eles podem regredir espontaneamente. No entanto, esse processo costuma ser lento e leva muito tempo para que as alterações dos testículos desapareçam por completo.

Existem algumas medidas simples que, não importa a causa, podem ajudar a controlar sinais e sintomas da condição e a regredir o processo inflamatório. São exemplos: 1) repouso no leito; 2) aplicação de compressas frias; 3) suporte semelhante aos usados em competições esportivas para manter a bolsa escrotal em posição elevada e imóvel.

De maneira geral, analgésicos e anti-inflamatórios não esteroidais (AINES) são os medicamentos prescritos no tratamento de traumatismos e quadros virais da orquite. Nas infecções bacterianas, incluindo as ISTs, são introduzidos antibióticos de amplo espectro que atuam sobre vários grupos e cepas de bactérias.

O sucesso do tratamento da orquite depende diretamente da identificação da causa que promoveu a inflamação dos testículos e o início precoce do tratamento. Na maioria dos casos, a enfermidade tem cura e não deixa sequelas. No entanto, sob algumas condições adversas – dificuldade de diagnóstico, tratamento incorreto e insuficiente – podem advir complicações como atrofia dos testículos, formação de abscessos e infertilidade – que agravam o quadro.

A orquiectomia, isto é, a remoção cirúrgica de um ou de ambos os testículos, nos episódios de orquite, fica reservada para situações extremas da doença em humanos.

Veja também: Como fazer a higiene íntima masculina

 

Recomendações

 

1 – Pessoa que recebeu a vacina tríplice viral contra os vírus da caxumba, sarampo e rubéola na infância, em duas doses, nos primeiros meses de vida, ou que já teve a doença uma vez, numa ou noutra situação, estará protegida não só contra a caxumba, mas também contra orquite por toda a vida.

Quem não tem certeza, porém, deve procurar uma unidade de saúde para informar-se. Se a dúvida persistir, a indicação é receber de novo a vacina tríplice viral, que é distribuída gratuitamente pelo SUS para pessoas em diferentes idades e fases da vida. Além da caxumba, essa vacina representa uma forma eficaz de prevenção também contra a orquite, doença benigna, mas sujeita a complicações graves como a infertilidade masculina.

2 – Homens não são afeitos a visitas regulares ao urologista. É preciso mudar essa postura. Qualquer alteração no aparelho genital ou reprodutor masculino deve ser motivo suficiente para procurar um urologista. Ninguém mais discorda de que qualquer problema de saúde identificado no início, certamente será passível de melhor prognóstico.

 

Perguntas frequentes sobre orquite

 

Quanto tempo dura a orquite?

O tempo de duração depende da causa e da resposta individual do paciente, e pode levar de dias e algumas semanas. É essencial identificar e tratar a causa da orquite, que costuma evoluir bem na maioria dos casos, quando tratada corretamente.

 

Orquite e epididimite são sinônimos?

Não. Orquite é a inflamação de um ou dos dois testículos. Já a epididimite é a inflamação do epidídimo, estrutura que coleta e armazena os espermatozoides produzidos nos testículos e integra o aparelho reprodutor masculino. Pela proximidade entre testículos e epidídimo, uma inflamação ou infecção pode atingir tanto os testículos quanto o epidídimo.

 

Sobre o autor: Maria Helena

Maria Helena Varella Bruna é redatora e revisora, trabalha desde o início do Site Drauzio Varella, ainda nos anos 1990. Escreve sobre doenças e sintomas, além de atualizar os conteúdos do Portal conforme as constantes novidades do universo de ciência e saúde.

Leia mais