A característica mais marcante da rubéola são as manchas vermelhas que aparecem primeiro na face e atrás da orelha e depois se espalham pelo corpo inteiro.

 

Rubéola é uma doença infecto-contagiosa causada pelo Togavírus. Sua característica mais marcante são as manchas vermelhas que aparecem primeiro na face e atrás da orelha e depois se espalham pelo corpo inteiro. O contágio ocorre comumente pelas vias respiratórias com a aspiração de gotículas de saliva ou secreção nasal.

 

Veja também: Leia aqui uma entrevista completa sobre rubéola

 

A rubéola congênita, ou seja, transmitida da mãe para o feto, é a forma mais grave da doença, porque pode provocar má-formações como surdez e problemas visuais na criança.

 

Sintomas

 

O período de incubação do vírus é de cerca de 15 dias e os sintomas são parecidos com os da gripe:

  • Dor de cabeça;
  • Dor ao engolir;
  • Dores no corpo (articulações e músculos);
  • Coriza;
  • Aparecimento de gânglios (ínguas);
  • Febre;
  • Exantemas (manchas avermelhadas) inicialmente no rosto que depois se espalham pelo corpo todo.

 

Diagnóstico

 

Por causa de sua semelhança com várias outras enfermidades, o diagnóstico preciso só pode ser obtido pelo exame sorológico.

 

Tratamento e Prevenção

 

O tratamento é sintomático. Antitérmicos e analgésicos ajudam a diminuir o desconforto, aliviar as dores de cabeça e do corpo e baixar a febre. Recomenda-se também que o paciente faça repouso durante o período crítico da doença.

Criança que nasce com rubéola pode transmitir o vírus por até um ano. Por isso, devem ser mantidas afastadas de outras crianças e de gestantes.

 

Vacina contra rubéola

 

A vacina contra a rubéola é eficiente em quase 100% dos casos e deve ser administrada em crianças aos 15 meses de vida. Mulheres que não tiveram a doença devem ser vacinadas antes de engravidar.

 

Recomendações

 

  • Quem não teve a doença deve evitar o contato com pessoas infectadas pelo vírus da rubéola;
  • Respeite as datas de vacinação de seu filho;
  • Gestantes devem tomar cuidado redobrado para não pegar a doença. Durante os três primeiros meses de gravidez, a rubéola pode ser transmitida para o feto e causar complicações como má-formação congênita como alterações oculares e cardíacas. Em alguns casos, pode provocar aborto.