Campanha de Vacinação contra o Sarampo busca imunizar 95% das crianças

O aumento de casos da doença e a baixa cobertura vacinal no Brasil preocupa, principalmente em relação às crianças.

Beatriz Zolin

Beatriz Zolin é estudante de Jornalismo e estagiária no Portal Drauzio Varella. Tem interesse por assuntos relacionados à saúde e sociedade, sexualidade e psicologia.

O aumento de casos da doença e a baixa cobertura vacinal no Brasil preocupa, principalmente em relação às crianças.

Compartilhar

Publicado em: 28 de abril de 2022

Revisado em: 28 de abril de 2022

O aumento de casos da doença e a baixa cobertura vacinal no Brasil preocupa, principalmente em relação às crianças.

 

Neste sábado (30/4), acontece o Dia D da 8° Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo. A partir da próxima segunda-feira (2/5), todas as crianças de seis meses a menores de 5 anos serão o foco de aplicação da vacina tríplice viral – que protege contra sarampo, rubéola e caxumba.

A campanha deste ano de 2022 está voltada para o público infantil, totalizando 12,9 milhões de brasileiros. Por causa da baixa cobertura vacinal em 2021, a meta agora é imunizar, no mínimo, 95% dessas crianças. Além delas, há também uma atenção especial para os trabalhadores de saúde que precisam atualizar a caderneta de vacinação, já que estão mais expostos ao vírus nos serviços de atendimento. 

 

Até quando vai a campanha?

O calendário de imunização contra o sarampo acontece de forma simultânea com o da Influenza:

  • De 4 de abril a 30 de abril de 2022: vacinação dos trabalhadores da saúde juntamente com a primeira etapa da vacinação contra influenza;
  • De 2 de maio a 3 de junho de 2022: vacinação das crianças de 06 meses a menores de 5 anos (4 anos, 11 meses e 29 dias) juntamente com a segunda etapa da vacinação contra influenza;
  • 30 de abril de 2022: dia D de mobilização social contra o sarampo para os dois grupos.

As crianças precisam tomar duas doses da tríplice viral com um período de, pelo menos, um mês entre elas. A vacina pode ser administrada junto de qualquer outra, exceto a da covid-19. Neste caso, é preciso esperar um intervalo de 15 dias.

Veja também: Queda da cobertura vacinal contra sarampo evidencia falhas na política de saúde

 

O que é o sarampo?

O sarampo é uma doença infecciosa grave e bastante contagiosa que pode provocar complicações e até óbitos, principalmente em crianças menores de um ano. A transmissão acontece de pessoa para pessoa pelas vias aéreas, como ao tossir ou espirrar.

Entre os sintomas, estão tosse, irritação nos olhos, nariz escorrendo ou entupido e mal-estar. Nas crianças, pode causar pneumonia, infecções no ouvido e inflamação no cérebro. 

Em 2016, o Brasil havia se livrado do vírus endêmico do sarampo, mas, dois anos depois, ele voltou a causar surtos no país. Entre 2019 e 2021, foram confirmados mais de 30 mil casos da doença. Neste ano, já foram 9 casos somente até o final de fevereiro. Ainda assim, a cobertura vacinal com as duas doses no ano passado ficou apenas em 50%.

É importante lembrar que as campanhas servem para aumentar o número de pessoas imunizadas no país, mas a tríplice viral está disponível durante todo o ano nas unidades de saúde – inclusive para aqueles que não se vacinaram durante a infância. Uma vez imunizado(a) com as duas doses, a proteção é válida para sempre.

Veja também: Quem deve tomar a vacina contra o sarampo

Veja mais