A amidalite pode ser causada por vírus (mais frequentes nas crianças), bactérias (atinge mais os jovens e os adultos) ou pela associação dos dois agentes.

 

Amidalite é uma doença infecciosa que atinge as amídalas, dois órgãos de defesa contra infecções que ficam no fundo da garganta.

 

Veja também: Leia aqui uma entrevista completa sobre amidalite

 

Causas de amidalite

 

A amidalite pode ser causada por vírus (mais frequentes nas crianças), por bactérias (atinge mais os jovens e os adultos) ou pela associação dos dois agentes. Geralmente ela é transmitida por gotículas expelidas em tosse, espirro ou por beijo ou compartilhamento de objetos (como copos).

 

Sintomas de amidalite

 

Os sintomas mais comuns são:

  • Febre;
  • Dor de garganta;
  • Falta de apetite;
  • Mau hálito;
  • Dificuldade para engolir;
  • Às vezes, inchaço dos gânglios do pescoço e da mandíbula;
  • Na amidalite bacteriana, aparecem pontos de pus amarelado nas amídalas.

É importante observar os sintomas para não os confundir com os de outras doenças, como gripe e mononucleose.

 

Diagnóstico e tratamento da amidalite

 

Ao tratar, é preciso diferenciar a amidalite causada por vírus da bacteriana.

Nas amidalites por vírus, a infecção atinge preferencialmente a região da orofaringe (amídalas e faringe) e deve ser tratada com analgésicos e anti-inflamatórios.

Já nas amidalites bacterianas (causadas mais comumente pelos tipos estreptococos e os estafilococos) provocam grande inflamação nas amídalas associada ao aparecimento de placas de pus na orofaringe, tornando necessário o uso de antibióticos específicos. Nesses casos, é exigido maior rigor no tratamento, pois suspender a medicação assim que desaparecem os sintomas, sem completar o período prescrito pelo médico, pode provocar complicações graves. Se as bactérias não forem totalmente eliminadas, elas podem permanecer ativas no organismo e migrar para outros tecidos, causando problemas distantes da garganta, como febre reumática e nefrite (inflamação dos rins).

Se a amidalite for crônica, outras causas devem ser pesquisadas para descobrir a razão da inflamação e buscar o tratamento adequado. A remoção cirúrgica das amídalas só é indicada em casos específicos que não respondem ao tratamento clínico e se repetem várias vezes ao ano, as chamadas amidalites de repetição ou recorrentes.

 

Recomendações para evitar a amidalite

 

  • Procure ficar longe do cigarro. Fumantes ativos e passivos estão mais propensos a infecções das amídalas;
  • Evite ambientes com ar-condicionado, que resseca as mucosas e diminui a resistência das amídalas;
  • Em amidalites de repetição é importante afastar a hipótese de refluxo gastroesofágico, responsável pela mudança no pH da garganta e que pode facilitar o surgimento de inflamações;
  • Prefira ingerir bebidas mornas, sopas e alimentos macios, uma vez que são mais tolerados durante as crises;
  • Tome muito líquido para hidratar as mucosas;
  • Quando se tratar de amidalite bacteriana, não deixe de tomar os remédios prescritos pelo médico só porque os sintomas desapareceram. Tome pelo período determinado para evitar complicações da doença;
  • Não se automedique. Medicamentos usados sem indicação podem favorecer o desenvolvimento de bactérias resistentes.