Doenças e sintomas

Febre reumática (reumatismo infeccioso)

Criança doente em repouso na cama com medicamentos no criado-mudo ao lado.

A febre reumática é uma doença de caráter autoimune, cuja causa é associada à mesma bactéria responsável por infecções de garganta e pela escarlatina.

 

Febre reumática, ou reumatismo infeccioso, é uma doença inflamatória, de caráter autoimune, provocada pela bactéria Estreptococo beta-hemolítico do grupo A de Lancefield, a mesma responsável por infecções de garganta e pela escarlatina.

A enfermidade, em geral, se manifesta por volta de sete a 15 dias depois de um episódio infeccioso de faringite ou amidalite com febre. O pico de incidência ocorre em 3% das crianças entre cinco e 15 anos, que apresentam alterações no sistema imunológico por herança genética.

 

Veja também: Artigo do dr. Drauzio sobre faringite por estreptococo

 

Quanto mais jovem o paciente, maior o risco de a febre reumática deixar sequelas graves.

 

Sintomas

 

  • Dor nas juntas (artrite migratória);
  • Sopro cardíaco, quando há comprometimento das válvulas do coração;
  • Inflamação no músculo do coração (cardite);
  • Movimentos descoordenados dos membros (coreia) em consequência de inflamação no cérebro;
  • Manchas avermelhadas na pele (eritema marginado);
  • Nódulos subcutâneos;
  • Febre baixa (37,5º C);
  • Prostração;
  • Inapetência;
  • Falta de ar.

 

Diagnóstico

 

Exames de sangue, de cultura de material da orofaringe e a pesquisa de anticorpos para identificar a presença do estreptococo são úteis para confirmar o diagnóstico com base na avaliação clínica. Na hipótese de comprometimento das válvulas do coração, eletrocardiograma, ecocardiograma e raios x de tórax são exames recomendados.

 

Prevenção e tratamento

 

A febre reumática é uma complicação decorrente de faringites e amidalites mal curadas. A maneira mais eficaz de prevenir a doença é combater o estreptococo do grupo A com antibióticos específicos, sempre sob a orientação de um médico.

Uma vez instalada a enfermidade, o tratamento inclui repouso absoluto no leito e o uso da penicilina benzatina (ou da eritromicina para os pacientes alérgicos à penicilina), de anti-inflamatórios e de analgésicos. Quando há comprometimento cardíaco, a intervenção terapêutica precisa ser mais agressiva.

 

Recomendações

 

  • Observe a dosagem da medicação prescrita pelo médico nas infecções de garganta pelo estreptococo. Suspender os remédios antes do prazo previsto pode ser o primeiro passo para complicações graves;
  • Não se descuide da prevenção de crises recorrentes de febre reumática aguda. Respeite os intervalos determinados pelo médico para retomar o tratamento medicamentoso;
  • Esteja atento: sem o tratamento adequado, a febre reumática é uma doença com taxa expressiva de mortalidade.

Sobre o autor: Maria Helena Varella Bruna

Maria Helena Varella Bruna é redatora e revisora, trabalha desde o início do Site Drauzio Varella, ainda nos anos 1990. Escreve sobre doenças e sintomas, além de atualizar os conteúdos do Portal conforme as constantes novidades do universo de ciência e saúde.

Leia mais