Coronavírus

Como funciona o ciclo da covid-19 no organismo?

paciente com máscara em cama de hospital, sendo auscultado por médico. entenda a evolução da covid-19

Entenda como ocorre a evolução da covid-19 e os riscos que os pacientes podem correr.

 

A covid-19 é uma doença traiçoeira que só no Brasil fez mais de 300 mil vítimas. Para entender melhor sobre o ciclo da doença, conversamos com o médico infectologista Renato Grinbaum, infectologista e docente do curso de medicina da Universidade Cidade de S. Paulo (Unicid), e com a dra. Vivian Avelino-Silva, infectologista e professora da Faculdade de Medicina do Hospital Albert Einstein e da Faculdade de Medicina da USP. Eles tiraram algumas dúvidas rápidas sobre a progressão do vírus no organismo. Acompanhe:

Veja também: Sequelas da covid

 

Quais são as fases de progressão da covid-19 no organismo?

 

O contágio se inicia pelo trato respiratório. O vírus entra pela boca e nariz a partir do contato com uma pessoa infectada. Nessa fase inicial, ele começa a se multiplicar no organismo de maneira desenfreada e nem sempre o indivíduo vai apresentar sintomas. 

O período de incubação do vírus começa a ocorrer a partir do momento da exposição ao vírus até o surgimento dos primeiros sintomas, que podem ser tosse, dor de cabeça, febre, dor no corpo, etc. 

Essa primeira fase dura de 5 a 7 dias e nesse intervalo o organismo ainda não teve tempo suficiente para produzir anticorpos. O organismo, na verdade, está se preparando para começar a atacar esse novo inimigo. 

 

E o que acontece em seguida?

 

Na maior parte das vezes, o sistema imune consegue combater o vírus de forma eficaz. Por isso, a maioria das pessoas apresenta apenas sintomas leves e recupera-se após alguns dias. Entretanto, de 15% a 20% dos pacientes vão apresentar sintomas mais severos. O que isso quer dizer?

Depois de 5 a 14 dias após o primeiro sintoma, o vírus finalmente consegue chegar ao pulmão, iniciando uma inflamação grave. Nessa fase o organismo até já produziu defesa, mas de forma caótica, desordenada. Nesse momento do ciclo, há poucos vírus no organismo, mas a maioria das agressões é feita pelo próprio sistema de defesa. Isso significa que a forma como a imunidade interage com o vírus influencia muito na gravidade da doença, sem contar que o tratamento intra-hospitalar também interfere muito na resposta do paciente. O tratamento dos casos graves pode incluir  altas doses de corticoide, antibióticos e medicamentos como tocilizumabe, além do paciente muitas vezes precisar ficar internado por semanas. Nesse estágio pode ser necessário suporte de oxigênio ou até intubação, dependendo da evolução,  já que os pulmões estão cheios de fluidos.

 

O paciente pode piorar ainda assim?

 

Se o sistema imunológico do paciente não consegue se defender de modo eficiente e responde de forma descontrolada, há uma inflamação generalizada no organismo que pode gerar falência múltipla de órgãos e parada cardiorrespiratória. Os médicos, então, tentam  conter as complicações que podem surgir a partir da covid, como trombose, derrames e problemas renais. É uma doença complicada e pode ocorrer uma piora em 3, 4 dias. É rápido.

 

Mas por que ocorre essa desordem no sistema imunológico do paciente?

 

A verdade é que ainda não sabemos por que isso acontece. Mas isso também ocorre não apenas com pacientes com covid-19, mas também com outras doenças infecciosas, como as causadas por bactérias, como meningococo e pneumococo, e as doenças virais, como dengue, febre amarela, etc. Assim, não é possível prever exatamente como cada paciente vai evoluir, pois isso depende muito do sistema imunológico de cada um. Pacientes sadios podem evoluir mal, pacientes idosos podem evoluir bem. 

Ouça também: Por que Dói? #22| Síndrome pós-covid

Sobre o autor: Juliana Conte

Juliana Conte é jornalista, repórter do Portal Drauzio Varella desde 2012. Interessa-se por questões relacionadas a manejo de dores, atividade física e alimentação saudável.