Doenças e sintomas

Trombose

Imagem em close de uma veia varicosa.

A trombose é decorrente da formação de coágulos em lugares em que não houve sangramento. Veja abaixo as recomendações para prevenir.

 

Quando sofremos um corte, o sangue escorre um pouco e para, porque o corpo humano é dotado de um sistema de coagulação altamente eficaz. As plaquetas, por exemplo, convergem para o local do ferimento e formam um trombo para bloquear o sangramento. Decorrido algum tempo, esse trombo se dissolve, o vaso é recanalizado e a circulação volta ao normal.

 

Veja também: Entenda o que é a trombose venosa profunda

 

Há pessoas que apresentam distúrbios e formam trombos (coágulos) num lugar onde não houve sangramento. Em geral, eles se formam nos membros inferiores. Como sua estrutura é sólida e amolecida, um fragmento pode desprender-se e seguir o trajeto da circulação venosa que retorna aos pulmões para o sangue ser oxigenado. Nos pulmões, conforme o tamanho do trombo, pode ocorrer um entupimento – a embolia pulmonar – uma complicação grave que pode causar morte súbita.

 

Sintomas de trombose

 

A trombose pode ser completamente assintomática ou apresentar sintomas como:

  • Dor;
  • Inchaço;
  • Aumento da temperatura nas pernas;
  • Coloração vermelho-escura ou arroxeada;
  • Endurecimento da pele.

 

Causas da trombose

 

  • Imobilidade provocada por prolongadas internações hospitalares;
  • Síndrome da classe econômica: dificuldade de movimentação durante viagens longas em aviões e ônibus;
  • Terapia de reposição hormonal;
  • Uso de anticoncepcionais;
  • Varizes;
  • Cirurgias;
  • Cigarro.

 

Veja também: Trombose por uso de anticoncepcionais

 

Fatores de risco para trombose

 

Alguns fatores como predisposição genética, idade mais avançada, colesterol elevado, cirurgias e hospitalizações prolongadas, obesidade, uso de anticoncepcionais, consumo de álcool, fumo, falta de movimentação, aumentam o risco de desenvolver trombose.

 

Tratamento da trombose

 

Existem medicamentos para reduzir a viscosidade do sangue e dissolver o coágulo (anticoagulantes) que ajudam a diminuir o risco, a evitar a ocorrência de novos episódios e o aparecimento de sequelas, mas que só devem ser usados mediante prescrição médica depois de criteriosa avaliação.

Massageadores pneumáticos intermitentes também podem ser usados nesses casos. Esses aparelhos consistem em botas acolchoadas conectadas a uma bomba que faz elas inflarem e desinflarem automaticamente para estimular a circulação nas pernas.

 

Recomendações para prevenir trombose

 

  • Procure um médico para saber se você pertence ao grupo de risco, porque existem medidas preventivas que podem e devem ser adotadas;
  • Pare de fumar. Os componentes do cigarro lesam veias e artérias;
  • Beba álcool com parcimônia e moderação;
  • Movimente-se. As consequências da síndrome da classe econômica podem ser atenuadas se você ficar em pé ou der pequenas caminhadas. Vestir meias elásticas ou massagear a panturrilha pressionando-a de baixo para cima ajuda muito;
  • Ande sempre que possível, se você é obrigado a trabalhar muitas horas sentado. Levante-se para tomar água ou café, olhar a rua, ir ao banheiro;
  • Use meias elásticas especialmente se você tem varizes;
  • Não se automedique. Procure assistência médica imediatamente se apresentar algum sintoma que possa sugerir a formação de um trombo.

 

Perguntas frequentes sobre trombose

 

Qual a relação entre anticoncepcionais e trombose?

Algumas pílulas, particularmente as combinadas com estrogênio, são as que estão mais relacionadas ao aumento do risco de trombose. Dependendo de outros fatores de risco, como predisposição genética, o risco de trombose venosa pode aumentar de três a oito vezes. Ainda assim, o risco é considerado baixo, exceção feita às fumantes, que têm risco alto e devem ter orientação médica para escolher um método anticoncepcional. Leia mais aqui sobre a segurança das pílulas anticoncepcionais.

Sobre o autor: Maria Helena Varella Bruna

Maria Helena Varella Bruna é redatora e revisora, trabalha desde o início do Site Drauzio Varella, ainda nos anos 1990. Escreve sobre doenças e sintomas, além de atualizar os conteúdos do Portal conforme as constantes novidades do universo de ciência e saúde.

Leia mais