Podcasts

DrauzioCast #015 | Voz

thumb drauziocast voz

Convivência influencia a forma como a voz se desenvolve em cada um. Ouça neste DrauzioCast.

 

Como as impressões digitais, a voz é uma característica individual que não se repete idêntica em nenhuma outra pessoa. Há vozes parecidas, mas absolutamente iguais, nunca. Nossa voz é nossa marca e pode revelar a personalidade e o estado de espírito de quem fala.

A voz se modifica durante a vida e certos distúrbios vocais podem ser corrigidos. Do ponto de vista físico, o processo de produção da voz é igual para todos: respiramos, o ar vai para os pulmões e na volta encontra as cordas vocais, que vibram com sua passagem e produzem um som; ao percorrer as cavidades de ressonância (que são diferentes de um indivíduo para o outro) este som adquire características peculiares da voz de cada um.

Veja também: Leia uma entrevista completa sobre cuidados com a voz

Outras áreas do corpo — faringe, boca, língua, dentes e o nariz — estão envolvidas no processo de emissão da voz. Elas ajudam a produzir todos os fonemas vocálicos, com os quais formamos sílabas, palavras, frases, textos para comunicar o que pensamos e sentimos.

O tipo de educação e a convivência com outras pessoas também ajudam a moldar a voz, por isso é comum encontrar vozes parecidas dentro da mesma família. Neste caso, estão associados fatores genéticos e ambientais. Existem casos de pessoas não consanguíneas que têm vozes parecidas. É frequente o fenômeno ocorrer com pais e filhos adotivos, ou mesmo com amigos, porque a voz também vai sendo moldada com a convivência.

Esse processo que ajuda a moldar nosso comportamento, nossos gestos e nossa voz aos do interlocutor, sempre que houver empatia entre duas pessoas, chama-se convergência.

Sobre o autor: Drauzio Varella

Drauzio Varella é médico cancerologista e escritor. Foi um dos pioneiros no tratamento da aids no Brasil. Entre seus livros de maior sucesso estão Estação Carandiru, Por um Fio e O Médico Doente.