A roséola, em geral, infecta crianças nos primeiros meses de vida até os 3 anos de idade,  mas também pode afetar adultos imunodeprimidos

 

A roséola, também chamada de exantema súbito ou sexta doença, apesar de ser parecida com a rubéola, é provocada por outro vírus, o herpes vírus humano tipo 6 (HHV-6) que, em geral, infecta crianças nos primeiros meses de vida e até os 3 anos. A transmissão ocorre de uma pessoa para outra, durante o período febril.

Adultos imunodeprimidos são vulneráveis à infecção pelo HHV-6.

 

Sintomas e diagnóstico

 

O período de incubação do vírus vai de cinco a 15 dias. O sintoma inicial é a febre alta (38ºC a 40ºC) durante três ou quatro dias. À medida que ela vai caindo, surge uma erupção cutânea (maculopápulas rosadas), que se concentra mais no tronco e menos na face e nos membros, e desaparece em dois ou três dias.

Os gânglios localizados na parte de trás da cabeça e no pescoço podem aumentar de tamanho. Nessa fase, a criança pode ficar irritada, um pouco abatida e sem apetite.

O diagnóstico é clínico. Raramente se torna necessário pedir exames laboratoriais para confirmá-lo ou estabelecer diagnóstico diferencial.

 

Veja também: Rubéola

 

Tratamento

 

Não há vacina contra a roséola. O tratamento é sintomático, com medicamentos para baixar a febre, pois, se subir muito, há o risco de ocorrerem convulsões.

 

Recomendação importante

 

  • Mantenha sob controle a temperatura da criança. Siga rigorosamente a orientação médica para administrar os medicamentos antitérmicos;
  • Banhos mornos, quase frios, também são um recurso importante para baixar a febre que teima em subir.