Doenças e sintomas

Dor de ouvido

Menino tenso, com mão na orelha em sinal de dor de ouvido

A dor de ouvido é mais comum em crianças e pode ter várias causas, mas a mais comum são as chamadas otites.

 

A dor de ouvido, que pode acometer uma ou as duas orelhas, é um sintoma bastante frequente na população, mas costuma atingir mais as crianças. Pode ser causada por uma infecção por fungos, vírus ou bactérias, por lesões na orelha (ouvido) ou ainda ser reflexo de problemas em outras regiões, como inflamação na garganta ou disfunção na articulação temporomandibular (ATM).

 

Causas da dor de ouvido

 

As causas mais comuns são infecções por vírus, fungos e bactérias, as chamadas otites, que podem ser média ou externa.

A otite média atinge região intermediária da orelha média que compreende a câmara timpânica e a tuba auditiva. A otite média aguda é causada por bactérias e vírus que provocam inflamação e/ou obstruções. Costuma ocorrer durante ou logo após gripesresfriados, infecções respiratórias ou na garganta devido à passagem de micro-organismos das vias aéreas para a orelha.

Veja também: Leia sobre zumbido no ouvido

Também pode surgir devido ao inchaço das tubas auditivas por conta de alergias ou inflamações. O inchaço faz com que as secreções da orelha não sejam adequadamente drenadas para a garganta e se acumulem na orelha média, tornando a região propícia à proliferação de micro-organismos. É um tipo de otite comum em crianças, mas pode acometer pessoas de qualquer idade.

A otite externa acomete a região da orelha externa, área revestida por pele e constituída pelo pavilhão auricular e o conduto auditivo externo que termina numa membrana chamada tímpano. Sua função é localizar a fonte sonora, amplificá-la e levá-la até a segunda região, a orelha média.

A causa mais comum desse tipo de dor de ouvido é a infecção por bactérias e fungos. Na maior parte das vezes, esses micro-organismos penetram através de lesões na pele que recobre a orelha externa provocadas por objetos (cotonetes, grampos, por exemplo), por atritos ao coçar ou secar o ouvido e pelo contato com água contaminada (mar, piscina, banhos). O contato frequente com a água pode facilitar a remoção da cera que serve de proteção para o canal auditivo. Por isso, a otite externa também é conhecida como otite dos nadadores.

A introdução de objetos, como hastes flexíveis, lápis e tampa de caneta, no canal auditivo pode causar lesões como perfuração da membrana do tímpano e fratura dos ossículos da orelha, ocasionando dor.

Outras causas de dor de ouvido podem ser infecções de garganta e doenças do trato respiratório (gripes, resfriados, sinusites e alergias); problemas bucais, como gengivite e dor de dente; acúmulo de líquido no canal auditivo, em especial depois de tomar banho ou entrar em piscinas e mar; variações de pressão, comuns principalmente em crianças ao andar de avião; dermatites ou infecções nos folículos pilosos da orelha externa; problemas na mandíbula, como a disfunção da articulação temporomandibular; neuralgia do trigêmeo (dor decorrente de alterações no nervo trigêmeo).

A dor de ouvido também pode ser causada pelo acúmulo de cerume (cera). O cerume é produzido nos dois terços externos do conduto auditivo. O terço interno, junto à membrana do tímpano, fica praticamente livre dele, providência da natureza para impedir que a cera ficasse impactada contra a membrana, interferindo com sua capacidade de vibrar e transmitir as ondas sonoras para o interior do ouvido.

Quando esse mecanismo de autolimpeza funciona mal, o cerume pode se acumular, endurecer e bloquear o canal, parcial ou totalmente.

 

Sintomas da dor de ouvido

 

Os principais sintomas são:

  • Dor, que pode ser muito intensa;
  • Prurido (coceira);
  • Sensação de corpo estranho;
  • Zumbido;
  • Perda de acuidade auditiva;
  • Secreção purulenta; e
  • Em caso de infecção, febre e perda de apetite.

Em crianças muito pequenas, fique atento se a criança:

  • Esfregar ou puxar a orelha;
  • Não reagir a sons;
  • Tiver temperatura de 38C ou mais;
  • Ficar irritada ou não conseguuir descansar e dormir;
  • Não se alimentar;
  • Mostrar sinais de perda de equilíbrio.

 

Diagnóstico

 

O diagnóstico se baseia no levantamento da história prévia (verificar se houve infecção anterior ou se a pessoa introduziu algo no canal auditivo, por exemplo) e dos sintomas e no exame do ouvido com aparelhos específicos, como otoscópio e microscópio.

 

Tratamento da dor de ouvido

 

A dor pode ser amenizada com analgésicos, como paracetamol e dipirona, ou anti-inflamatórios, como ibuprofeno. Compressa frias ou quentes (cuidado para não se queimar ou queimar a criança) na orelha podem ajudar.

Veja também: Dr. Drauzio fala sobre perda de audição

Algumas infecções precisam ser tratadas com antibióticos. Se a dor estiver muito intensa ou a pessoa apresentar febre de 38C ou mais, procure um médico.

Em caso de acúmulo de cerume, que ocorre principalmente em pessoas mais velhas, pode ser necessária uma lavagem feita pelo médico otorrinolaringologista.

Se a dor for causada por outros problemas, como dor na articulação da mandíbula ou de garganta, é preciso tratar a causa.

 

Recomendações para evitar a dor de ouvido

 

  • Quando seus filhos estiverem com gripes ou resfriados, limpe as secreções com frequência para evitar o acúmulo nas vias aéreas;
  • Mantenha o ambiente das crianças livre da fumaça do cigarro. Crianças expostas ao cigarro costumam ter mais dor de ouvido;
  • Procure atendimento médico sempre que você e/ou seu filho/a tiverem dor de ouvido. O diagnóstico precoce é a única forma de prevenir complicações;
  • Procure amamentar seus filhos pelo menos até os 6 meses de idade para desenvolver o sistema imunológico deles;
  • Não amamente nem dê mamadeira para seu bebê com ele deitado. Essa posição favorece a entrada de líquidos na tuba auditiva;
  • Evite deixar entrar água no canal auditivo e seque bem a orelha com uma toalha ao sair do banho;
  • Vacine seu filho contra o Haemophilus influenzae e o Streptococcus pneumoniae, que podem causar infecções nos ouvidos;
  • Não introduza nenhum objeto no canal auditivo, nem mesmo hastes flexíveis, que só devem ser usadas para limpar a orelha externa;
  • Quando for viajar, masque chicletes sem açúcar, que ajudam a diminuir a pressão nos ouvidos, durante pousos e decolagens de avião e na subida ou descida de serras e montanhas, quando estiver no carro ou ônibus. Se você tiver bebês, ofereça a chupeta ou a mamadeira ou o seio materno.

 

Perguntas frequentes sobre dor de ouvido

 

Há remédios caseiros para a dor de ouvido?

Evite introduzir objetos ou qualquer substância no canal auditivo sem prescrição médica, pois eles podem causar lesões e danos no ouvido.

 

O que fazer em caso de dor de ouvido?

Tente identificar a causa da dor. Se houver outros sintomas associados, como febre ou dor de garganta, ela pode ser sinal de infecção. Se for causada pela introdução de algum objeto, pode significar uma lesão mais grave. Analgésicos e anti-inflamatórios aliviam a dor, mas o ideal é procurar um médico para fazer o diagnóstico correto.

Sobre o autor: Mariana Varella

Mariana Varella é editora do Portal Drauzio Varella. Formada em Ciências Sociais pela USP, atua na área de jornalismo de saúde, com foco em saúde da mulher. @marivarella

Leia mais