ambulatorio is not a valid taxonomy for this post

Toque retal (exame de toque)

Mãos com luvas azuis de médico em um fundo cinza.

O toque retal é indicado para examinar problemas no ânus e reto, como hemorroidas e câncer de próstata. Veja como é realizado o procedimento.

 

O exame de toque retal se tornou popular por ser o mais indicado para identificar alterações que podem ser sinal de câncer de próstata, mas ele também pode avaliar diversas condições. O procedimento é rápido (dura em média 10 segundos) e indolor e não traz riscos à saúde.

 

Veja também: Principais problemas que acometem a próstata

 

Para que serve o exame de toque retal

 

O toque retal possibilita identificar sinais de doenças na próstata, como prostatite (inflamação da próstata), hiperplasia (aumento da próstata) e câncer de próstata, mas são necessários outros exames para confirmar o diagnóstico, como de urina e sangue (PSA). O médico também pode examinar problemas como fissuras anaishemorroidas e outras alterações no reto, uretra, ânus e canal vaginal.

 

Quando e quem deve fazer o exame de toque retal

 

Na maioria dos casos, o exame é feito quando há suspeita de alguma doença ou inflamação. Por exemplo, quando há um sintoma que pode ser causado por inflamação da próstata, como incontinência urinária, pode-se indicar o exame de toque para investigar.

No caso do rastreamento de câncer de próstata, existem orientações específicas. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), ligado ao Ministério da Saúde, o médico e o paciente devem conversar sobre os riscos e benefícios e decidir em conjunto se o exame deve ser realizado (normalmente em conjunto com o PSA).

Essa recomendação se dá porque não existem evidências de que realizar os exames em homens sem sintomas diminui a mortalidade por câncer de próstata. Como esse tipo de tumor pode ter evolução muito lenta, às vezes a conduta indicada é somente observar seu desenvolvimento, pois o tratamento pode ser desnecessário.

A Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) segue a mesma orientação, mas indica que homens negros ou com histórico familiar de câncer de próstata façam exames diagnósticos a partir dos 45 anos, devendo o médico estipular a periodicidade.

 

Qual é o preparo para o exame de toque retal

 

O exame não exige nenhum preparo prévio.

 

Como é feito o exame de toque retal

 

A posição indicada para o exame pode variar dependendo de cada médico. Há os que pedem ao paciente que fique deitado de lado, de barriga pra cima, em pé, um pouco inclinado sobre uma superfície etc. O médico insere um dedo no ânus, utilizando luva e lubrificante, e analisa a região por cerca de 10 segundos. Pode ser solicitado que o paciente faça força, semelhante à utilizada ao evacuar, para relaxar a musculatura e permitir uma análise mais eficiente.

 

Cuidados após o exame de toque

 

Não existem cuidados específicos após o exame. O paciente pode voltar à sua rotina logo em seguida.

 

Tem no SUS?

 

Sim, o exame está disponível no Sistema Único de Saúde e pode ser solicitado por urologistas, proctologistas e ginecologistas.

Sobre o autor: Rafael Machado

Rafael Machado é jornalista e repórter do Portal Drauzio Varella. Tem interesse nas editorias de saúde pública e direitos humanos.