Melatonina: como ela influencia no seu sono | Animação #42

A melatonina é o hormônio que regula o sono. Ela pode ser encontrado como suplemento alimentar, mas seu uso exige cautela.

Drauzio Varella

Drauzio Varella é médico cancerologista e escritor. Foi um dos pioneiros no tratamento da aids no Brasil. Entre seus livros de maior sucesso estão Estação Carandiru, Por um Fio e O Médico Doente.

Compartilhar

A melatonina é o hormônio que regula o sono. Ela pode ser encontrado como suplemento alimentar, mas seu uso exige cautela.

 

Quando a noite cai, a retina capta a ausência de luz e envia a informação para o cérebro, que faz com que a glândula pineal comece a produzir melatonina. Esse hormônio atua na manutenção do ritmo circadiano, o famoso “relógio biológico”. É ele quem prepara o organismo para uma boa noite de sono.

A melatonina pode ser encontrada em forma de suplemento alimentar, mas deve ser utilizada com cuidado. Existem algumas ações que podem melhorar a qualidade do sono e, em caso de problemas para dormir, o ideal mesmo é procurar um médico. Saiba mais no vídeo.

Um sono de qualidade é muito importante para o nosso bem-estar. Traz benefícios à saúde física e mental. Cada pessoa vai encontrar o seu equilíbrio, mas em média um adulto precisa dormir em torno de oito horas por noite.

Você já ouviu falar no hormônio do sono? A melatonina é um hormônio produzido pela glândula pineal, uma pequena estrutura localizada próxima ao centro do cérebro, que atua no estabelecimento do chamado ritmo circadiano, que é o relógio biológico do organismo, regulado pela luz do sol. Na ausência da luz, a retina envia informações ao cérebro que farão com que a glândula pineal libere a melatonina, preparando o organismo pro ciclo da noite e promovendo o sono.

É por isso que ficar conectado às telas de eletrônicos, como celular e televisão, não é um bom hábito na hora de dormir. O excesso de luz nos mantém alertas e retarda a indução ao sono.

A Anvisa liberou no Brasil a venda da melatonina como suplemento alimentar para maiores de 19 anos e o consumo de até 0,21 miligramas por dia, com algumas contraindicações: grávidas, lactantes, crianças, e pessoas envolvidas em atividades que exigem atenção constante, como um motorista, por exemplo, não devem tomar o suplemento.

Apesar de não precisar de receita, o consumo dessa substância merece cautela porque existem efeitos colaterais associados a ela. Se você está tendo problemas para dormir, a recomendação é sempre buscar um profissional pra avaliar o seu caso individualmente.

Praticar atividade física regularmente, mas não próximo da hora de ir pra cama, não consumir álcool e bebidas com cafeína à noite nem comer logo antes de deitar, evitar sonecas longas durante o dia e procurar dormir e acordar sempre nos mesmos horários são medidas que ajudam a ter uma boa noite de sono.

Veja também: Meu sono piorou na pandemia: e agora?

Veja mais