Doenças e sintomas

Arritmia (palpitação)

thumb x perguntas fibrilacao atrial

Arritmia é um distúrbio do ritmo cardíaco que provoca a sensação de que o coração deixou de dar uma batida.

 

Arritmia ou palpitação é um distúrbio do ritmo cardíaco, que provoca a sensação de que o coração deixou de dar uma batida. Na maioria das vezes, se ocorre ocasionalmente, esse fato não tem consequências. Em alguns casos, porém, pode ser sinal de um problema mais grave. O ritmo das batidas de um coração normal descansado é de 60 a 100 por minuto. Os átrios (as duas câmaras menores do coração) contraem-se simultaneamente e o mesmo acontece, logo em seguida, com os ventrículos (as duas câmaras maiores).

Esse mecanismo ocasiona a “batida dupla” característica do coração: tum-tá, tum-tá… Exercícios ou estresse emocional podem aumentar o ritmo cardíaco para até 200 ou mais pulsações. Em pessoas com coração sadio, quando a demanda de esforço volta ao normal, o ritmo cardíaco também se restabelece rapidamente.

 

Veja também: Leia aqui uma entrevista sobre arritmias cardíacas

 

No entanto, às vezes a arritmia se instala por um período maior de tempo. O coração pode bater demasiado lento (bradicardia), ou demasiado rápido (taquicardia).

Na maioria dos casos, as arritmias são breves, desaparecem espontaneamente e não representam risco para a saúde. No entanto, se o ritmo cardíaco acelerado tornar-se constante, pode conduzir à falência cardíaca congestiva. Arritmias graves, muitas vezes, ocorrem por causa de infartos do miocárdio.

 

Vídeo: Especialista responde 8 perguntas frequentes sobre fibrilação atrial, um tipo mais grave de arritmia

 

Um tipo de arritmia cardíaca grave, com risco de vida, é a chamada “fibrilação”, que ocorre quando os átrios ou os ventrículos se contraem de forma irregular, descoordenada. Pessoas com aterosclerose estão particularmente sujeitas a essa anomalia, que vem acompanhada de dor no peito nos casos de infarto.

 

Fatores de risco para arritmias

 

Cafeína, fumo, álcool e outras drogas estimulantes (legais ou ilícitas) podem desencadear batimentos extras tanto nos átrios quanto nos ventrículos. Histórico de infarto também aumenta o risco.

Usualmente as arritmias desaparecem assim que a pessoa afasta os fatores desencadeantes. Todavia, se os batimentos extras forem rápidos ou muito lentos e vierem acompanhados de tontura e falta de ar, o quadro merece atenção porque pode indicar doenças cardíacas.

 

Recomendações para evitar e para quem tem arritmia

 

  • Se fuma, faça tudo o que puder para parar de fumar;
  • Se notar batimento cardíaco irregular, rápido, ou batimento extra e não houver histórias de doenças do coração em sua família, o problema pode estar relacionado ao consumo de cafeína, fumo, estresse emocional e/ou uso de certos medicamentos. Corte o café, certos tipos de chá, colas e outras bebidas que contenham cafeína;
  • Procure um médico. Existem diversos medicamentos que podem ser indicados para trata a arritmia. Certos casos exigem a implantação cirúrgica de um marcapasso no peito do paciente para regular os batimentos cardíacos;
  • Se você é nervoso, sente calor demais, tem tremores nas mãos e transpira muito, sua arritmia pode estar associada à hiperatividade da tireoide. Vá ao médico que lhe indicará o tratamento adequado.

 

* Atenção com certos sintomas das arritmias: Palpitações acompanhadas de compressão ou aperto no peito ou de perda de consciência são graves. Procure socorro imediatamente.

 

Veja também: Dr. Drauzio fala sobre diagnóstico e tratamento da fibrilação atrial

 

Perguntas frequentes sobre arritmias

 

Qual é o ritmo cardíaco adequado?

O ritmo cardíaco normal fica em torno de 60 a 100 batimentos por minuto. Quando praticamos esforço ou atividade física é normal que essa frequência aumente e passe de 100.

 

Arritmia cardíaca é grave?

Há arritmias que são benignas e outras que podem ser graves, por indicarem a existência de uma doença cardíaca ou porque a própria arritmia oferece um grande risco ao paciente. Portanto, é importante buscar um cardiologista para diagnosticar o problema de forma precisa e identificar sua gravidade.

 

A arritmia cardíaca pode provocar morte súbita?

Sim. Em situações extremas, a arritmia cardíaca pode causar uma parada cardíaca que pode levar à morte súbita.

 

A doença é mais comum em pessoas mais velhas? 

Não, qualquer pessoa pode ter arritmia cardíaca, homem ou mulher, jovem ou idoso.

 

O que é marcapasso?

O marcapasso é um dispositivo que ajuda a regular os batimentos cardíacos emitindo impulsos elétricos e estimulando as câmaras cardíacas. A cirurgia para implante é feita com anestesia e normalmente o paciente tem alta em até dois dias.

 

Como saber se tenho arritmia cardíaca?

Além de sentir o coração batendo de forma lenta ou acelerada, o paciente com arritmia pode ter dor no peito, falta de ar, tontura, palpitações, entre outros sintomas que vêm e vão repentinamente. Esses sintomas podem acometer qualquer pessoa, mas aqueles que já têm alguma doença do coração, como aterosclerose, ou os que já sofreram infarto, devem ficar ainda mais atentos.

 

Vídeo: Dr. Drauzio explica o que é a fibrilação atrial, um tipo grave de arritmia

Sobre o autor: Maria Helena Varella Bruna

Maria Helena Varella Bruna é redatora e revisora, trabalha desde o início do Site Drauzio Varella, ainda nos anos 1990. Escreve sobre doenças e sintomas, além de atualizar os conteúdos do Portal conforme as constantes novidades do universo de ciência e saúde.