Podcasts

O que fazer para combater pensamentos suicidas

menina cobre o rosto com a mão, em sinal de tristeza. Pensamentos suicidas são mais frequentes do que imaginamos

Psiquiatra explica o que pode ser feito para enfrentar os pensamentos suicidas e evitar uma possível tentativa de suicídio. 

 

Os pensamentos suicidas são muito mais comuns do que a gente imagina. Estima-se que uma em cada cinco pessoas já teve um pensamento suicida alguma vez na vida. Ter um pensamento desse tipo não é motivo de vergonha, mas serve como alerta de que é preciso buscar ajuda. Lembre que sua saúde mental é tão importante quanto a sua saúde física. Abaixo separamos algumas informações importantes para que você possa lidar com um pensamento suicida:

Veja também: É possível prevenir o suicídio

 

  • Não fique sozinho (a): Quando você começar a ter pensamentos suicidas, busque ajuda de alguém rapidamente. Pense em uma pessoa de confiança, com quem você possa conversar sobre o assunto. Pode ser um familiar, um parceiro ou amigo. “Contar com o apoio de alguém é muito importante, e pode ser um ponto de virada”, afirma o psiquiatra Jairo Bouer. 

 

  • Fale sobre o que está sentindo: Não tenha vergonha de falar sobre o que você está sentindo. Se o pensamento veio, é porque algo o está incomodando muito e não adianta negar isso. Dividir essas questões com alguém pode trazer muito alívio. “Muitas vezes na vida, só de a gente falar sobre o problema, a gente consegue mudar o ângulo pelo qual está enxergando esse problema e isso pode fazer toda a diferença”, explica Bouer. 

 

  • Concentre-se no fato de que a crise é passageira: Esse pensamento não vai durar para sempre, ele é temporário. Por isso, é necessário colocar uma barreira entre o pensamento e a tentativa. “Se você consegue respirar, pensar, controlar essa impulsividade, as chances de uma tentativa são bem menores”, afirma o médico. “Na esmagadora maioria das vezes essa é uma crise passageira.” 

 

  • Utilize o serviço do CVV: O Centro de Valorização da Vida (CVV) é uma entidade dá suporte emocional e atua na prevenção do suicídio. Se você sente que não tem a quem recorrer no momento da crise, contate o CVV e converse com um voluntário. O serviço funciona 24 horas por dia e pode ser feito por meio de chat na internet ou pelo telefone 188 (a ligação é gratuita). 

 

  • Evite o uso abusivo de substâncias: Não recorra a álcool, drogas ou medicamentos, pois em um momento de vulnerabilidade, as substâncias químicas podem fazê-lo agir por impulso. “Você pode perder um freio importante e num momento de mais impulsividade fazer uma tentativa de suicídio”, explica o psiquiatra. 

 

  • Busque ajuda especializada: Se a pessoa a qual você recorrer tiver dificuldade em lidar com a situação ou não conseguir ajudá-lo por algum motivo, você pode pedir que ela faça uma ponte entre você e algum tipo de ajuda, como um profissional de saúde mental ou alguma rede de apoio, por exemplo. É importante que você encontre um lugar seguro para conversar. 

 

Assista: Especialista responde dúvidas sobre suicídio.

 

Sobre o autor: Maiara Ribeiro

Maiara Ribeiro é repórter do Portal Drauzio Varella desde 2018. Tem interesse em assuntos relacionados à saúde da criança, da mulher e do idoso.

Leia mais