Antes de esclarecer essa dúvida, é importante explicar por que engasgamos. O engasgo acontece quando a epiglote (espécie de válvula localizada na parte superior da laringe que se fecha durante a deglutição) se abre, permitindo que o alimento ou líquido ingerido siga o caminho da respiração e não o da deglutição. Assim, o alimento ou o líquido vai para a laringe e não para o esôfago, como deveria.

Nesse caso, na maior parte das vezes, a pessoa engasgada consegue resolver o problema sozinha por meio da tosse, que empurra o agente irritante para fora das vias aéreas. É nesse contexto que o “tapinha nas costas” pode ajudá-la a a expelir o alimento, líquido ou até mesmo a saliva, resolvendo os casos simples de engasgo.

 

Veja também: Grandes dúvidas: Andar descalço no frio causa resfriado?

 

Mas fica aqui a recomendação: quando existe obstrução das vias aéreas, um simples “tapinha” não adianta. O sinal clássico de que a pessoa está sufocando é levar as mãos ao pescoço e gesticular por ajuda. Fique atento aos sinais de engasgo grave, como: dificuldade para tossir e para falar, pânico e cianose (pele, lábios ou unhas azuladas).

Nesses casos, existem manobras específicas que devem ser realizadas por pessoas que têm conhecimento em primeiros socorros:

 

Vítima adulta consciente

 

Para desengasgar uma pessoa adulta consciente, segure-a por trás, passando seus braços em torno da cintura da vítima, de maneira que suas mão se encontrem na altura do umbigo dela.

Feche uma das mãos e apoie-a logo acima do umbigo da vítima bem firme.

Use a outra mão para manter o punho fixo no local e comprima o abdômen rápida e fortemente de baixo para cima, em sequências de 5 vezes seguidas, faça uma breve pausa e repita até a pessoa desengasgar.

 

Vítima adulta inconsciente

 

Se a vítima estiver inconsciente, deite-a de barriga para cima e tente enxergar o que está causando o engasgo. Se conseguir visualizar, retire o objeto cuidadosamente com os dedos.

Se não conseguir enxergar, sente-se em uma cadeira e coloque uma almofada ou travesseiro sobre os joelhos. Coloque a vítima de bruços no seu colo, com o abdômen e o tórax apoiadas na almofada e com a cabeça para baixo.

Faça 5 compressões fortes e seguidas apoiando-se nas costas da vítima, usando seus braços e o peso do seu corpo para comprimir o abdômen da vítima contra o seu colo. Repita as compressões.

 

Crianças

 

Sentado, coloque a criança de bruços de comprido sobre uma de suas coxas, com as pernas da criança voltadas para sua barriga e a cabeça levemente inclinada para baixo, um pouco à frente do seu joelho.

Use um dos seus braços para apoiá-la sobre sua coxa e com a mão desse mesmo braço segure o queixo da criança.

Com a outra mão, comprima firmemente as costas da criança, na altura das costelas. Repita a manobra 5 vezes seguidas.

Se não funcionar, tente sentar-se e apoiar a criança em um de seus braços, como na técnica anterior, mas de modo que ela fique de barriga para cima.

Com a mão do mesmo braço, segure a cabecinha da criança abaixo do nível do corpo.

Com dois dedos da outra mão, comprima firmemente o tórax logo abaixo da linha imaginária que liga os mamilos. Faça 5 compressões firmes seguidas, uma breve pausa e repita. (Assista ao vídeo.)

Se nada funcionar e a vítima estiver inconsciente, ligue para o SAMU (192) para receber orientações.

 

 

Consultoria: Alexandre Sakano, gastroenterologista da BP – Beneficência Portuguesa de São Paulo.

Aplicativo de primeiros-socorros do dr. Drauzio Varella