Hoje, preferimos falar em comportamentos de risco para aids, caracterizando as pessoas que têm maior probabilidade de contrair o vírus.