Sexualidade

Dicas práticas para uma boa higiene íntima

Saiba que cuidados tomar para fazer a limpeza adequada da região íntima e prevenir infecções. 

Saiba que cuidados tomar para fazer a limpeza adequada da região íntima e prevenir infecções. 

 

Cuidados diários de higiene íntima são fundamentais para evitar a proliferação de fungos e bactérias e até problemas mais graves. Apesar de existirem muito mais produtos no mercado voltados para o público feminino, todas as pessoas devem fazer a limpeza adequada da região para prevenir infecções e desconfortos como coceiras, irritações e odores fortes. Separamos algumas informações e dicas práticas para uma boa higiene íntima. 

 

Higiene íntima do pênis

A higiene adequada da região íntima é fundamental para prevenir infecções comuns, como a candidíase e a balanite (inflamação que atinge o prepúcio ou a glande) até doenças mais sérias, como o câncer de pênis, já que a má higiene íntima é considerada um dos fatores de risco desse tipo de câncer. 

Abaixo, separamos algumas dicas práticas para manter a higiene íntima do pênis em dia: 

Higiene íntima do pênis

  • Faça a lavagem correta: Para higienizar o pênis, é preciso desfazer todas as dobras do prepúcio, pele que recobre a glande (cabeça do órgão). O ideal é usar água morna para fria, pois a parte interna do prepúcio e a glande são revestidas por uma mucosa que é mais frágil que a pele e mais suscetível a lesões térmicas por água quente. Não esfregue com força. 

 

  • Utilize sabonetes neutros: O mais indicado para lavar a região íntima é utilizar sabonetes neutros, que contêm menos agentes químicos, como corantes. 

 

  • Enxugue bem o pênis: Na hora de enxugar, siga o mesmo passo a passo de desfazer as dobras do prepúcio e não esfregar com força. É importante secar bem, porque a umidade favorece a proliferação de fungos que podem provocar infecções como a candidíase. 

 

  • Seque após urinar: É importante secar o meato uretral (fenda por onde sai a urina), pois o acúmulo de xixi no prepúcio e o contato com as mucosas pode provocar inflamação no local e favorecer o crescimento de microorganismos. 

 

  • Lave o pênis após o sexo: O pênis deve ser higienizado após o sexo da mesma forma que é feito no banho, para eliminar secreções como saliva, muco vaginal, muco anal e bactérias intestinais (após sexo anal), além de esperma, latéx e produtos químicos (pelo uso de lubrificantes, espermicidas e preservativos), pois são agentes irritativos e que podem predirpor inflamações e infecções na região íntima. 

 

  • Prefira cuecas de algodão: Dê preferência a cuecas de algodão e sem tintura (ou seja, brancas), principalmente se você tem inflamações ou infecções recorrentes. Também é recomendado evitar modelos muito apertados e ficar com a peça molhada por muito tempo. 

 

  • Cuidados com depilação: A depilação da área genital não é necessária, mas pode ser feita de maneira cuidadosa. No entanto, algumas pessoas podem apresentar reações locais e ter processos inflamatórios com a repetição da “agressão” causada pela depilação com lâminas ou barbeadores. Escolha um método que você se adapte e não irrite a pele. 

Veja também: Como fazer a higiene íntima masculina

 

Higiene íntima da vulva

Primeiro, é importante explicar que o canal da vagina (parte interna) é autolimpante, por isso, não há necessidade de limpá-lo. Já a parte externa (vulva) deve ser higienizada diariamente com água e sabão, mas não há necessidade de fazer a higiene mais de uma vez por dia. Quando tomar outro banho no mesmo dia, basta usar água.

Higiene íntima da vulva

Manter uma limpeza adequada é fundamental para prevenir infecções como a candidíase e infecção urinária. Separamos algumas dicas para uma boa higiene íntima da vulva: 

  • Evite peças apertadas: Evite usar calças e shorts muito apertados e de tecido sintético, pois é importante deixar a região íntima arejada e sem excesso de umidade. Saias e vestidos são boas opções, pois proporcionam maior ventilação da vagina.

 

  • Prefira sabonetes neutros: Opte por sabonetes com pH neutro ou ácido, com o mínimo possível de fragrâncias e corantes. Sabonetes íntimos não são necessários, mas podem ser usados, apenas evite aqueles que prometem disfarçar odores, pois a região íntima tem odor próprio e o excesso de perfume pode desequilibrar a flora vaginal. 

 

  • Faça xixi após as relações sexuais: A medida ajuda a eliminar as bactérias presentes na uretra e evitar infecções urinárias. Também é interessante fazer a higiene da área íntima após o sexo para eliminar secreções, mas nunca faça duchas vaginais. 

 

  • Use roupas íntimas confortáveis: Dê preferência a calcinhas de tecido respiráveis, como as de algodão, para deixar a vulva “respirar”, e que não sejam apertadas. Outra medida que é benéfica para a região íntima é dormir sem calcinha. 

 

  • Faça a limpeza na ordem correta: Passe o papel higiênico de frente para trás. A forma correta é com a mão por trás das nádegas, para evitar que a microbiota anal tenha contato com a vulva, pois a região tem muitas bactérias que podem provocar vaginose bacteriana ou infecções urinárias. Lembre-se: você precisa higienizar sempre a parte da frente primeiro e depois a parte de trás.

 

  • Cuidados com depilação: A depilação não interfere na saúde íntima, a única recomendação é aparar os pelos mais compridos para reduzir a umidade e o aquecimento local, o que pode ser feito com uma tesoura limpa. Caso opte por depilar os pelos, escolha o método que melhor se adaptar e que não irrite a pele. 

 

  • Uso de absorventes: Quem usa absorventes durante a menstruação deve trocá-los com frequência, a cada 3 a 4 horas, dependendo da intensidade do fluxo. Para pessoas com incontinência urinária, o ideal é usar absorventes ou roupas íntimas específicas que impedem vazamentos e neutralizam o odor de urina. 

Veja também: Quando o corrimento vaginal pode indicar alguma doença

Dica bônus

A recomendação de limpeza íntima correta (de frente para trás) também vale para as toalhas umedecidas para adultos, que possuem pH compatível com a região íntima. Elas podem ser usadas quando necessário (como quando precisar higienizar a região fora de casa, por exemplo).

 

Consultoria: dr. Ricardo Luís Vita Nunes (urologista) e dra. Fátima Oladejo (ginecologista e obstetra).

Conteúdo desenvolvido em parceria com a TENA Brasil: https://www.tena.com.br/

Veja também: Lavar a calcinha no banheiro faz mal para a saúde?

Sobre o autor: Maiara Ribeiro

Maiara Ribeiro é repórter do Portal Drauzio Varella desde 2018. Tem interesse em assuntos relacionados à saúde da criança, da mulher e do idoso.

Leia mais