Podcasts

DrauzioCast #35 | Distimia



Subtipo de depressão, doença é caracterizada pela falta de interesse generalizada e irritabilidade. Ouça o DrauzioCast sobre distimia.

 

 

 

Certamente você conhece algumas pessoas que parecem estar sempre de mal com a vida, com o mundo e com tudo, não é? Nada deixa essas pessoas felizes. Esse tipo de postura pode não ser sinal de mau humor, falta de educação, mas um sintoma de uma doença chamada distimia.

Distimia é um tipo de depressão crônica, de moderada intensidade, diferente da depressão que se instala de repente. Os portadores de distimia são pessoas de difícil relacionamento, com baixa autoestima e elevado senso de autocrítica.

O distímico tem um mau humor constante, está sempre irritado, reclama de tudo, só enxerga o lado negativo das coisas e acaba se isolando socialmente. Raramente os portadores de distimia se dão conta do próprio problema. Acham que o mau humor, a falta de prazer e interesse pelas coisas e a tristeza que não dá trégua fazem parte da personalidade dele, do jeito de ver o mundo sem ilusões.

Veja também: Orientações para falar com quem está passando por uma crise de depressão

O diagnóstico precoce e a introdução do tratamento são de extrema importância para os que sofrem de distimia. Distimia não é uma doença tão simples, não. 15 a 20% desses mal-humorados crônicos podem tentar o suicídio.

A associação de medicamentos antidepressivos com psicoterapia é o tratamento ideal. O antidepressivo sozinho ou a psicoterapia sozinha funcionam pior do que a associação dos dois tratamentos.

Então, se você tem um parente, um amigo sempre de mau humor, irritado, pessimista, considere a possibilidade que ele seja portador de distimia — um distúrbio do humor para o qual existe tratamento —, e tente convencê-lo a procurar assistência médica. Da mesma forma, se os seus amigos e parentes reclamam que você anda de cara amarrada o tempo todo, irritado, descontente, implicando com tudo e com todos, procure ajuda.

Sobre o autor: Drauzio Varella

Drauzio Varella é médico cancerologista e escritor. Foi um dos pioneiros no tratamento da aids no Brasil. Entre seus livros de maior sucesso estão Estação Carandiru, Por um Fio e O Médico Doente.