Pediatria

Cuidado com acidentes oculares em crianças



Quando se tem crianças em casa, a organização dos ambientes deve ser repensada, principalmente para evitar acidentes oculares domésticos.

 

Criança em casa é sinônimo de atenção redobrada. Os pequenos costumam ser curiosos, o que faz com que eles fiquem expostos a riscos constantes de acidentes domésticos. Diante disso, o oftalmologista Rodrigo Machado, responsável pela área de oftalmopediatria do Visão Institutos Oftalmológicos Associados, de Brasília (DF), explica que os pais devem tomar alguns cuidados para evitar danos à saúde ocular das crianças.

“Quando se tem crianças em casa, a organização dos ambientes deve ser repensada. Os materiais de limpeza e os medicamentos, por exemplo, devem estar sempre fora do alcance delas. Saponáceos, desinfetantes e outros produtos de limpeza podem causar queimaduras oculares se caírem diretamente nos olhos”, ressalta o médico.

Outra precaução para evitar acidentes oculares domésticos indicada pelo oftalmologista é a escolha dos brinquedos. Dr. Rodrigo Machado lembra que objetos pontiagudos, como canetas e lápis, devem ser usados sob observação de um adulto. “Brinquedos pontiagudos oferecem maior risco de perfuração dos olhos, assim como as quinas de mesas e pias. Caso ocorra um acidente, a melhor atitude é levar a criança imediatamente para o hospital, para que um especialista analise o caso e, se for necessário, retire o corpo estranho.”

O médico alerta que os pais não devem tentar remover o objeto. Contudo, em casos de ciscos, areia e pelos de animais, por exemplo, os olhos devem ser lavados com água corrente. O oftalmologista recomenda não tentar retirar o corpo estranho manualmente, pois isso pode causar ou agravar uma lesão na córnea e aumentar a irritação.

“Se só a limpeza com água não resolver, a criança deve ser levada ao oftalmologista. É importante explicar para o especialista o que houve e qual o produto entrou em contato com os olhos. No caso de produtos de limpeza, o ideal é que os pais levem o frasco, para facilitar a decisão do médico pela conduta mais adequada”, conclui.

Sobre o autor: Juliana Conte

Juliana Conte é jornalista, repórter do Portal Drauzio Varella desde 2012. Interessa-se por questões relacionadas a manejo de dores, atividade física e alimentação saudável.