Pediatria

Como evitar assaduras nos bebês

Bebê usando fralda de joelhos em assoalho de madeira.

Evitar assaduras nos bebês está sempre na lista de preocupações de pais e mães. Veja aqui como prevenir e, caso elas surjam, como tratar.

 

As assaduras estão, sem sombra de dúvida, na lista do que mais incomoda os bebês e, claro, deixam os pais aflitos. Elas são resultado de uma reação inflamatória da pele desencadeada pelo contato com substâncias irritantes, como urina e fezes retidas na fralda, que facilitam a infecção principalmente por fungos como a Cândida (responsável também pelo sapinho). Embora sejam temidas, evitar o problema é bastante simples. “A troca frequente das fraldas e a higiene local são fundamentais para evitar assaduras”, diz a pediatra Leda Amar de Aquino, membro do Departamento Científico de Pediatria Ambulatorial da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP).

 

Veja também: Passo a passo do banho do bebê

 

Se você usa fraldas descartáveis deve ficar com dó a cada vez que precisa jogar uma fora, de tão caras que são. Mas não economize, é necessário trocá-las com frequência. Essa é a medida mais eficaz para prevenir assaduras. “Devemos trocar as fraldas não só quando o bebê fizer as necessidades fisiológicas, e sim a cada três horas, para não deixar a região úmida, sempre higienizando com a ajuda de um algodão embebido em água morna e um pouco de sabonete infantil. Se possível, o melhor é deixar o bebê peladinho entre uma troca e outra”, ensina a pediatra.

Para as mães e pais de meninas, uma dica importantíssima: na troca de fraldas, deve-se limpá-las da frente para trás, para que a sujeira do ânus não seja levada para a vagina e aumente o risco de uma infecção urinária.

 

Evite lenços e não use talco

 

O uso dos lenços umedecidos para evitar assaduras deve ser evitado, e eles só devem ser utilizados em situações especiais como, por exemplo, fora de casa, em momentos de passeio. Já utilizar talco é totalmente desaconselhável em qualquer situação. “A criança pode acabar inalando o pó, que tem componentes tóxicos capazes de prejudicar o aparelho respiratório da criança”, alerta a pediatra.

 

E se a assadura aparecer?

 

Assaduras são oportunistas, mesmo com todo o cuidado elas podem aparecer. Tratá-las é simples. Atualmente, existe grande oferta de cremes à base de nistatina e óxido de zinco. A nistatina age combatendo os fungos, enquanto o óxido de zinco forma uma camada protetora entre a pele do bebê e sua urina e fezes. Além disso, o creme ajuda a suavizar o atrito entre a pele e a fralda.

Esses cremes devem ser utilizados após o banho e após as trocas de fralda, com o bebê já limpo e seco. Aplique uma camada em toda a região que for ficar em contato com a fralda. Quando usados para tratar uma irritação, é recomendado aplicar no mínimo duas vezes por dia. Em geral, os sintomas regridem em até 48 horas.

Leda lembra que o bebê com assadura apresenta a região perineal bem avermelhada e, se providências não forem tomadas, a dermatite pode se agravar e até causar ulcerações na pele, levando, inclusive, a sangramento local.

Sobre o autor: Tainah Medeiros

Tainah Medeiros é jornalista com foco em saúde, atuou como repórter de 2011 a 2016 no Portal Drauzio Varella. Hoje, é a responsável pelas Redes Sociais do dr. Draw. <três