Infectologia

Quem deve tomar a vacina contra a H1N1

H1N1 escrito em uma folha e, em cima, seringa, comprimidos e frasco de vacina.

Qualquer pessoa pode tomar a vacina contra a H1N1, mas grupos específicos devem ficar mais atento ao calendário de vacinação.

 

Casos de gripe são mais comuns no fim do outono e no inverno, mas também podem ocorrer em outros períodos do ano. O vírus que mais assusta é o H1N1.

No entanto, médicos alertam que não é necessário pressa para vacinar-se nem procurar um hospital ao menor sinal de gripe. A imensa maioria das pessoas em boas condições de saúde, que não faça parte do grupo prioritário e que contraia H1N1, não apresentará complicações graves.

 

Veja também: Artigo do dr. Drauzio com orientações sobre a gripe H1N1

 

Qualquer pessoa pode tomar a vacina contra a gripe, mas existem grupos mais vulneráveis que devem ser priorizados e ter atenção redobrada com a prevenção. São eles:

  • Trabalhadores de saúde;
  • Povos indígenas;
  • Puérperas (mulheres até 45 dias após o parto);
  • Idosos (a partir dos 60 anos);
  • Professores;
  • Pessoas portadoras de doenças crônicas;
  • Outras categorias de risco clínico;
  • População privada de liberdade, incluindo adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medida socioeducativa, e funcionários do sistema prisional;
  • Gestantes;
  • Crianças de seis meses a seis anos (cinco anos, 11 meses e 29 dias).

Segundo o dr. José Silva de Mendonça, infectologista do Hospital do Servidor Público Estadual de São Paulo, apenas as pessoas do grupo prioritário devem procurar o médico caso apresentem sintomas como febre alta e súbita, mal-estar e dor intensa no corpo. As demais devem repousar em casa.

É importante evitar os pronto-socorros e clínicas de vacinação lotados, pois o risco de contaminação é muito maior quando há aglomerações.

 

Lembretes sobre a vacina contra H1N1

 

  • Seu efeito protetor demora de duas a três semanas para começar;
  • Quem toma a vacina contra a gripe deve fazê-lo todos os anos, pois os vírus se modificam;
  • Há dois tipos de vacina disponíveis: a trivalente, que protege contra 2 vírus da influenza A e 1 vírus da influenza B, disponível na rede pública de saúde, e a tetravalente, que protege contra 2 vírus da influenza A e 2 da B, disponível em clínicas particulares. Para proteger contra a H1N1, a vacina trivalente é eficiente;
  • A vacina não protege 100% dos vacinados.

 

Vídeo: Dr. Drauzio explica as principais diferenças entre gripe e resfriado.

Sobre o autor: Mariana Varella

Mariana Varella é editora do Portal Drauzio Varella. Formada em Ciências Sociais pela USP, atua na área de jornalismo de saúde, com foco em saúde da mulher. @marivarella