Como evitar a contaminação por hepatite nas manicures

Vírus da doença podem ser transmitidos por meio de materiais contaminados como alicates de unha. Veja como evitar contaminação por hepatite nas manicures.

Mariana Varella

Mariana Varella é editora-chefe do Portal Drauzio Varella. Jornalista de saúde, é formada em Ciências Sociais e pós-graduanda na Faculdade de Saúde Pública da USP. Interessa-se por saúde pública e saúde da mulher. Prêmio Especialistas Saúde 2021 e Prêmio Einstein Colunista +Admirados da Imprensa de Saúde e Bem-Estar 2021 @marivarella

Compartilhar

Publicado em: 16 de setembro de 2014

Revisado em: 21 de outubro de 2021

Vírus da doença podem ser transmitidos por meio de materiais contaminados como alicates de unha. Veja como evitar contaminação por hepatite nas manicures.

 

A enfermeira Andreia Schunck, do Hospital Emílio Ribas, em São Paulo, fez uma pesquisa em cem salões da cidade, escolhidos de modo aleatório e localizados em bairros periféricos e nobres, após notar que muitos pacientes com hepatites B ou C que iam buscar tratamento no hospital eram profissionais ligados à área de beleza. Para tentar entender os motivos dessa relação, ela decidiu acompanhar de perto a realidade das manicures e utilizar os dados em sua tese de mestrado. (Leia mais sobre a pesquisa aqui.)

Os resultados impressionam: 8% das profissionais tinham o vírus da hepatite B e 2%, o da hepatite C, ou seja, uma em cada dez profissionais estava contaminada com o vírus da hepatite.

A pesquisa fez com que o Ministério da Saúde convidasse a autora a escrever uma cartilha direcionada aos profissionais de salão de beleza. Veja aqui.

Entretanto, apesar de hoje os clientes estarem mais conscientes e exigirem materiais descartáveis, a realidade ainda não é tão animadora, pois grande parte dos estabelecimentos atua de forma irregular, o que dificulta a ação da Vigilância Sanitária.

“Há uns dois anos eu visitei 13 estabelecimentos junto com o dr. Drauzio Varella para uma série do Fantástico e a situação não mudou muito. As clientes ainda não levam todo material. Esquecem o alicate ou a lixa, por exemplo. São raras as manicures que utilizam luvas”, diz Andreia.

Para evitar a contaminação por hepatite nas manicures, tanto as profissionais como os clientes devem estar atento às normas de higiene. Veja as dicas a seguir:

 

Dicas para o cliente

 

  • Use e exija materiais descartáveis como luvas, lixas, alicate, espátula, protetores de plástico para cubas e bacias;
  • Leve sua própria toalhinha e, de preferência, seu próprio material;
  • Certifique-se de que o local onde você faz as unhas segue as normas de higiene e possui licença sanitária.

Dicas para as manicures

 

  • Lave as mãos por, no mínimo, 40 segundos antes e depois de atender cada cliente;
  • Use luvas descartáveis. Troque-as após cada procedimento;
  • Esterilize seus instrumentos em autoclaves, pois só assim o vírus é eliminado. Preste atenção na temperatura e no tempo indicados pelo fornecedor do aparelho;
  • Exija a vacina contra a hepatite B. Você tem direito de se imunizar contra a doença, basta ir a um posto de saúde. Mas atenção: somente após as três doses recomendadas da vacina você estará imunizada.

Veja mais