Geriatria

Como prevenir dermatites e úlceras de pressão em pessoas acamadas?

Idosos acamados podem desenvolver úlcera por pressão e dermatites. Veja como prevenir.

Ter contato com a urina e ficar muito tempo na mesma posição podem causar problemas de pele em pacientes acamados.

 

A pele dos idosos é mais frágil e, quando eles estão acamados e/ou fazem uso de fraldas, a pele fica mais vulnerável a lesões e infecções. Por isso, é fundamental manter uma rotina de cuidados que ajude a prevenir possíveis irritações e proporcione conforto e bem-estar ao paciente.

Veja também: Mínimo descuido pode ser suficiente para gerar lesões por pressão

Existe uma série de condições de saúde que podem deixar uma pessoa idosa acamada, e muitos desses pacientes também perdem o controle da urina (incontinência urinária). Esses fatores aumentam o risco de problemas como as úlceras de pressão e as dermatites associadas à incontinência. Veja o que deve ser feito para prevenir essas lesões:

 

Úlceras de pressão

 

As úlceras de pressão (também chamadas de úlceras de decúbito e popularmente conhecidas como escaras) são lesões que aparecem por causa da pressão prolongada sobre a pele. Por isso, é muito comum acometer pacientes que têm capacidade limitada, ou seja, que precisam ficar muito tempo deitados ou acamados. As úlceras geralmente surgem no quadril, cóccix, tornozelos e calcanhares. A incontinência urinária e a incontinência fecal também aumentam o risco de úlceras de pressão, por causa do atrito da pele com a urina e as fezes.

A principal forma de prevenir esse tipo de lesão na pele é fazendo o reposicionamento frequente (a cada duas horas no máximo), além de uma boa higiene da pele, que deve estar limpa e seca. Mas é preciso fazer a higiene de forma delicada, sem esfregar a pele, pois as fricções aumentam o risco de lesões. Os cuidadores também devem examinar os pacientes todos os dias em busca de vermelhidões nas áreas de pressão. Se encontrar alguma área afetada, é importante posicionar a pessoa de forma que o local não sofra pressão até voltar ao normal.

Outras medidas que auxiliam na prevenção de úlceras de pressão é a troca frequente das roupas de cama e a movimentação do paciente, quando possível.

 

Dermatite associada à incontinência

 

As dermatites associadas à incontinência (popularmente chamadas de assaduras) são lesões comuns em pacientes que fazem uso de fraldas e podem surgir na região íntima, na parte interna das coxas e na parte inferior do abdômen. Elas são causadas pelo contato da pele com a urina ou fezes, no caso de incontinência fecal, e aumentam o risco de infecções. A pele fica bastante inflamada, com lesões vermelhas, o que causa muita dor e desconforto ao paciente.

Para prevenir as dermatites, é fundamental manter uma rotina de higiene seguindo três passos principais: limpeza, hidratação e proteção. A higiene da área íntima deve ser realizada a cada troca de fraldas, sempre de frente para trás, para evitar que resíduos da região anal sejam transportados para o canal da urina, causando infecções urinárias. É muito importante também utilizar fraldas específicas para incontinência, pois elas são capazes de absorver a urina com rapidez, evitando que o líquido entre em contato com a pele, além de prevenir vazamentos.

A limpeza pode ser feita com algodão embebido em água, ou com toalhas umedecidas próprias para adultos, que também hidratam a pele. O uso de sabão em barra ou produtos antibacterianos nem sempre é a melhor opção, já que podem ressecar a pele. Para proteger, uma boa opção são os chamados cremes barreira, que previnem a irritação pelo contato direto com a urina, pois formam uma espécie de película na pele. Esse tipo de creme não deve ser totalmente retirado a cada troca de fralda, porque a fricção pode aumentar a sensibilidade e o risco de lesões.

Conteúdo desenvolvido em parceria com a marca TENA:
https://www.tena.com.br

Sobre o autor: Maiara Ribeiro

Maiara Ribeiro é repórter do Portal Drauzio Varella desde 2018. Tem interesse em assuntos relacionados à saúde da criança, da mulher e do idoso.

Leia mais