A catarata é uma lesão ocular que torna o cristalino opaco e deixa a visão embaçada, como se houvesse uma névoa diante dos olhos.

 

A catarata é uma lesão ocular que atinge e torna opaco o cristalino (lente situada atrás da íris cuja transparência permite que os raios de luz o atravessem e alcancem a retina para formar a imagem), o que compromete a visão. A evolução costuma ser lenta, e a doença pode afetar primeiro um dos olhos e só mais tarde o outro.

 

Sintomas

 

Como os raios luminosos não conseguem atingir plenamente a retina onde se situam os receptores fotossensíveis, o portador de catarata tem dificuldade para enxergar com nitidez.

 

Veja também: Leia aqui entrevista completa sobre catarata

 

No início do problema, a pessoa vê como se a lente dos óculos estivesse embaçada ou como se houvesse uma névoa diante dos olhos. Com o avanço da doença, porém, a dificuldade aumenta progressivamente e a pessoa passa a enxergar apenas vultos, evoluindo, às vezes, até a cegueira.

Outros sintomas que podem ocorrer são visão dupla, sensibilidade à luz ou imagens distorcidas. A pessoa pode queixar-se de dificuldade para dirigir, ler e andar, ou referir que tem tido quedas frequentes e que as cores estão desbotadas e sem vida. Pode perder, ainda, o interesse em ler e costurar porque não consegue enxergar direito.

 

Causas

 

A catarata pode ser congênita (casos raros) ou adquirida. A principal causa da doença é o envelhecimento. Embora o problema apareça geralmente em indivíduos com mais de 50 anos, há casos de crianças que já nascem com a doença por problemas genéticos ou porque as mães tiveram rubéola, sífilis ou toxoplasmose no primeiro trimestre de gestação.

Outras causas de catarata são diabetes, uso sistemático e sem indicação médica de colírios, especialmente dos que contêm corticoides, inflamações intraoculares, traumas como socos ou batidas fortes na região dos olhos e excesso de radiação.

 

Diagnóstico

 

O diagnóstico de catarata é feito pelo oftalmologista. Valendo-se de um exame minucioso, ele verificará se o cristalino possui alguma lesão (a pupila torna-se branca, porque a lente que era transparente fica esbranquiçada).

 

Tratamento

 

O único tratamento para catarata é o cirúrgico. O objetivo da cirurgia – simples, rápida e feita sob anestesia local – é substituir o cristalino danificado por uma lente artificial que recupera a função perdida. Essa lente pode ser de vários tipos e corrigir vários problemas de visão. É possível implantar lentes especiais que permitem eliminar os óculos para longe e, em alguns casos, os óculos para perto.

O cristalino pode ser retirado inteiro ou por uma técnica chamada facoemulsificação (um aparelho tritura e aspira o cristalino). Essa técnica oferece a vantagem de exigir corte menor e, em geral, sem suturas.

A cirurgia da catarata exige cuidados pós-operatórios como qualquer outra intervenção cirúrgica.

 

Recomendações

 

  • Não use colírios, especialmente os que contêm corticoides, sem indicação médica, pois eles podem até causar glaucoma secundário. Respeite o prazo determinado pelo médico para aplicação do medicamento;
  • Procure um oftalmologista imediatamente se notar qualquer inflamação ou sofrer algum trauma na região dos olhos.

 

Edição revista em 09/09/2015 por dra. Amaryllis Avakian, médica oftalmologista especialista em catarata e chefe do Setor de Catarata do HC-FMUSP.