Por que meu cabelo está caindo?

Quando a queda de cabelo é momentânea, ela é chamada de eflúvio telógeno. Conheça essa condição que pode ser causada por estresse.

Estresse, ansiedade, depressão, covid-19, são uma das principais causas dessa condição chamada eflúvio telógeno.

Compartilhar

Publicado em: 27/09/2022

Revisado em: 29/09/2022

Estresse, ansiedade, depressão e covid-19 são algumas das principais causas dessa condição chamada eflúvio telógeno. 

 

Eflúvio telógeno é uma forma de perda de cabelo momentânea, normalmente ocasionada por fatores externos, como estresse, evento traumático, perda de peso abrupta, cirurgias, gravidez e, inclusive, covid-19. Para se ter uma ideia, segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), é uma das principais causas de queda de cabelo. 

Só que a perda não acontece de uma hora para outra; normalmente, a condição é decorrente de um evento que aconteceu há dois, três meses e que foi o gatilho para acelerar o ciclo capilar para a fase de queda (fase telógena).

A boa notícia é que essa queda é temporária e não leva à calvície. Portanto, a condição tem  uma duração predeterminada de dois a quatro meses, caso não haja outra doença associada. E, de um dia para o outro, há uma aparente melhora.

 

Cabelos param de crescer por um tempo

Nessa condição, cerca de 30% de todo o cabelo para de crescer e entra na fase de repouso antes de cair. Portanto, se você tiver eflúvio telógeno, poderá perder uma média de 300 a 400 fios por dia em vez dos 100 fios que normalmente caem diariamente. 

Você vai notar essa queda principalmente no travesseiro, ao levantar depois de uma noite de sono, e também nas roupas, na hora de se pentear e quando for lavar o cabelo. Também poderá notar que os fios irão apresentar um aspecto mais fino que o normal, principalmente nas laterais e perto da testa.

Veja também: Calvície: primeiros sinais surgem na adolescência

 

Como tratar?

Segundo informações da SBD, não há um tratamento específico para a condição. Algumas medicações, que são estimuladoras do crescimento capilar, podem ser associadas para acelerar o processo de recuperação, mas aliado a esse protocolo, também é importante manejar os gatilhos que ajudam na queda dos fios, como o estresse. 

 

Pós-parto e bariátrica

Há situações nas quais o surgimento da condição é esperado, como na fase do pós-parto, quando é comum ocorrer queda dos fios dois ou três meses após o parto. É aconselhável orientar a paciente a procurar um dermatologista logo no início do problema. O mesmo vale para aqueles que passaram por cirurgia bariátrica ou por uma dieta emagrecedora. Esses precisam ser bem orientados para buscar ajuda assim que notarem a queda acentuada dos fios e obter orientação para a melhor conduta do caso.

Veja também: Cuidados necessários após a bariátrica

Veja mais

Sair da versão mobile