Coronavírus

Novo coronavírus pode se espalhar pelo ar

mulher sentada em condução tosse. Transmissão do novo coronavírus pode se dar pelo ar

Centro americano muda orientação e alerta para o risco de transmissão do novo coronavírus pelo ar.

 

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos anunciou, na segunda-feira (05/10/20), que o vírus Sars-CoV-2, que causa a covid-19, pode se espalhar por meio de partículas suspensas no ar e circular além de cerca de 2 metros.

Veja também: Artigo do dr. Drauzio sobre transmissão do novo coronavírus

Esse tipo de transmissão é mais provável em determinados locais e situações, como:

  • Espaços fechados: pessoas suscetíveis podem contrair o vírus pelo ar especialmente em duas situações: quando estão no mesmo ambiente fechado que uma pessoa infectada ou quando entram no ambiente do qual a pessoa infectada acabou de sair;
  • Exposição prolongada a partículas respiratórias: o risco de adquirir o vírus pelo ar aumenta se uma pessoa se expuser por muito tempo a partículas suspensas que contenham o vírus. Se a pessoa infectada expelir diversas partículas (ao tossir, gritar ou cantar, por exemplo), o risco cresce ainda mais. Quanto mais partículas contendo o vírus forem eliminadas, maior o risco de elas se acumularem no ar. Quanto mais tempo nos expusermos a elas, maior a probabilidade de contaminação;
  • Ventilação inadequada: locais mal ventilados permitem que partículas suspensas no ar se acumulem e não se dissipem.

O CDC, no entanto, confirma que a transmissão pelo ar não é a principal forma de disseminação do vírus.  Essa continua sendo de pessoa para pessoa, por meio de gotículas (aerossóis) emitidas quando um indivíduo contaminado fala, tosse ou espirra próximo a outro.

Um estudo do National Institutes of Health publicado em junho deste ano já havia revelado que o novo coronavírus emitido em gotículas de saliva emitidas pela fala podem permanecer de 8 a 14 minutos suspensas no ar, o que facilitaria ainda mais a transmissão da doença.

Outro estudo, publicado em março na “New England Journal of Medicine”, revelou que o vírus pode permanecer em aerossóis por pelo menos 3 horas em ambiente laboratorial, embora a quantidade de vírus viáveis, que ainda possam causar covid-19, diminua significantemente com o passar do tempo.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) informa que está monitorando as novas evidências de que o vírus possa ser transmitido pelo ar, mas afirma, assim como o CDC, que a principal forma de disseminação do vírus é de pessoa a pessoa, por meio de aerossóis, daí a importância de se manter o uso de máscara e o distanciamento físico.

 

Prevenção

 

Embora a transmissão do novo coronavírus ainda esteja sendo estudada, há evidências cada vez mais robustas que corroboram a necessidade de medidas preventivas para evitar sua disseminação. Por isso, de acordo com o CDC, é fundamental:

Sobre o autor: Mariana Varella

Mariana Varella é editora do Portal Drauzio Varella. Formada em Ciências Sociais pela USP, atua na área de jornalismo de saúde, com foco em saúde da mulher. @marivarella