Por quanto tempo posso transmitir o vírus da covid-19?

O tempo de transmissão da covid indicado pelas autoridades de saúde mudou com o decorrer da pandemia. Veja na coluna de Mariana Varella.

Mariana Varella

Mariana Varella é editora-chefe do Portal Drauzio Varella. Jornalista de saúde, é formada em Ciências Sociais e pós-graduanda na Faculdade de Saúde Pública da USP. Interessa-se por saúde pública e saúde da mulher. Prêmio Especialistas Saúde 2021 e Prêmio Einstein Colunista +Admirados da Imprensa de Saúde e Bem-Estar 2021 @marivarella

mulher com máscara trabalhando sentada em frente ao computador. Tempo de transmissão da covid mudou

Compartilhar

Publicado em: 4 de agosto de 2022

Revisado em: 4 de agosto de 2022

O tempo de transmissão da covid indicado pelas autoridades de saúde mudou com o decorrer da pandemia. Veja na coluna de Mariana Varella.

 

No início da pandemia de covid-19, quando ainda não havia muitas informações com base em evidências acerca do comportamento do Sars-CoV-2 e tampouco vacinas, especialistas recomendavam isolamento de 14 dias para quem contraía o vírus.

Por enquanto, com o aumento da cobertura vacinal e da testagem e a circulação de novas variantes mais contagiosas, como a Ômicron, houve alterações no período de contágio, que passou a se concentrar nos dois dias anteriores ao início dos sintomas e nos três primeiros dias após a abertura do quadro. Assim, os órgãos de saúde mudaram as recomendações para o isolamento.

Veja também: Covid-19: Conheça os sintomas de cada variante

No entanto, muita gente que pegou covid continua com dúvidas: quantos dias exatamente devo ficar isolado em casa? É preciso fazer teste para saber se ainda estou contaminando antes de deixar o isolamento? E se eu não apresentar sintomas?

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos, que estabelece protocolos seguidos por especialistas do mundo todo, preparou uma série de recomendações um tanto complicadas para os leigos.

A primeira confusão é a respeito do que é considerado o dia 1 da infecção, a partir do qual deve-se contar os dias de isolamento. Para o Centro, o dia em que surgem os sintomas é o dia 0, portanto o dia 1 é o dia seguinte ao começo dos sintomas (24 horas completas).

Além disso, alguns médicos e cientistas acreditam que o CDC deveria recomendar que as pessoas realizassem um teste antes de deixar o isolamento, o que o órgão coloca apenas como opção.

 

Quanto tempo devo permanecer isolado?

 

A pessoa com suspeita de ter entrado em contato com o Sars-CoV-2 deve, antes de tudo, realizar o teste para confirmar o diagnóstico, mesmo que não tenha sintomas. Nesse caso, o teste deve ser feito no mínimo depois de 5 dias após o contato.

Se apresentar sintomas e um teste positivo deve, ainda de acordo com o CDC, ficar em casa durante 5 dias e usar máscara até o décimo dia após o início dos sintomas (lembre que o dia 1 é o segundo dia do começo dos sintomas), sempre que estiver perto de outras pessoas, dentro ou fora de casa. Isso, contudo, vale se os sintomas estiverem melhorando progressivamente e o paciente não apresentar febre há ao menos 24 horas.

Quem tiver sintomas intensos e não estiver melhorando após o quinto dia deve permanecer isolado por 10 dias.

Quem tiver um teste positivo, mas não manifestar sintomas, deve se isolar por 5 dias, começando a contar o dia 0 como o dia em que o teste foi realizado, e usar máscara, em casa ou fora, durante 10 dias.

Embora seja pouco provável que uma pessoa continue a transmitir o vírus dias após o início dos sintomas, é possível que isso aconteça. Contudo, após o décimo dia, é muito difícil contaminar outras pessoas, mesmo se o teste continuar dando positivo.

 

Autotestes

 

Quem tiver acesso a autotestes, que custam entre 30 e 80 reais, terá mais segurança se puder realizar um exame antes de deixar o isolamento, após cinco dias, principalmente se for comparecer a reuniões ou eventos com muitas pessoas ou entrar em contato com pessoas mais velhas, não vacinadas ou com problemas de saúde.

Em relação aos testes, é bom lembrar que há dois tipos disponíveis para o diagnóstico da covid, o PCR e o os testes de antígenos, também chamados de “testes rápidos”. O primeiro detecta o material genético do vírus e é mais indicado para confirmar ou refutar a infecção, mas não é recomendado para afirmar se uma pessoa corre risco de infectar outras.

Além de ser um teste muito sensível, que pode continuar dando positivo mesmo algum tempo após a infecção, o PCR demora alguns dias para ficar pronto. Para saber se você ainda tem risco de passar o vírus, recomenda-se que depois do período de 5 dias de isolamento você faça o teste rápido de antígeno.

 

Veja mais