Atividade Física

Dicas para pedalar com segurança

pedalar

A bicicleta é um ótimo meio de transporte, mas é preciso seguir algumas dicas para pedalar com segurança.

 

A bicicleta está ganhando cada vez mais espaço no cotidiano das grandes cidades. Utilizada como meio de transporte para o trabalho ou escola, por lazer, para a prática de exercícios e competições, os usuários defendem que, além de trazer benefícios para a saúde, ela contribui para a fluidez do trânsito e, consequentemente, para reduzir a poluição do ar nos grandes centros urbano.

Na verdade, a bicicleta é o primeiro veículo que a maioria das pessoas dirige na vida. Por isso, pedalar chega a ser considerado uma atividade quase intuitiva. Quem aprendeu, quando criança, jamais esquece, é o que dizem.

Acidentes podem ocorrer por descuido, imprudência dos motoristas e do próprio ciclista e desrespeito às leis de trânsito. De acordo com o Relatório de Acidentes Fatais da CET, em 2014, morreram 47 ciclistas: 43 homens e 16 meninos e adolescentes entre dez e 19 anos.

Qualquer que seja a sua idade, se você quer diminuir o risco de fazer parte dessa estatística, preste atenção nas seguintes recomendações:

  • Escolha o modelo da bicicleta de acordo com seu tipo físico e a forma que pretende usá-la. Coloque equipamentos que ajudam os motoristas a enxergar você e sua bicicleta em movimento. Os acessórios que vêm de fábrica, em geral, não são suficientes. Para sua segurança, a bicicleta precisa ter placas refletivas também nos pedais, espelho retrovisor, indicador de direção e lanterna com luz branca na frente e luz vermelha atrás, especialmente se você pretende pedalar à noite, ao entardecer ou sob chuva ou neblina, quando sua visão e a dos outros motoristas ficam muito prejudicadas;
  • Use sempre capacete adequado ao tipo de ciclismo que vai praticar: transporte, recreação, competições, atividade física, etc;
  • Proteja as mãos com luvas especiais para evitar lesões, se cair, e mantê-las aquecidas nos dias frios. Óculos também são importantes, porque, além de protegerem os olhos contra os raios ultravioleta, impedem a entrada de corpos estranhos (poeira, ciscos) que podem prejudicar momentaneamente a visão e o equilíbrio;
  • Prefira roupas claras, com faixas refletivas e fluorescentes na frente do corpo e nas costas;
  • Verifique as condições mecânicas da bicicleta — pressão dos pneus, funcionamento do breque, ajuste do selim, da manopla e do guidão – com regularidade;
  • Obedeça às regras de trânsito: se não houver espaço reservado para os ciclistas, trafegue sempre pela direita, não muito próximo do meio-fio e nunca na contramão. Na contramão, o tempo que separa você e sua bike do veículo em sentido contrário é menor, porque a velocidade relativa entre ambos fica muito aumetada;
  • Evite transitar por vias expressas, avenidas e ruas muito movimentadas. Fuja dos horários de pico. Dê preferência a percursos mais tranquilos, mesmo que mais longos e demorados;
  • Siga o conselho dos mais experientes. Pare nos cruzamentos e esquinas, olhe dos dois lados, antes de começar a atravessá-los. Redobre a atenção nas saídas de garagem e de estacionamentos. Não utilize as faixas exclusivas de ônibus ;
  • Desça da bicicleta para atravessar cruzamentos muito movimentados e se for absolutamente necessário utilizar as calçadas. Nos dois casos, vire pedestre e vá empurrando a sua bike;
  • Não mude de faixa ou de direção sem antes sinalizar as suas manobras;
  • Mantenha o foco no que tem pela frente. Só olhe para trás, quando absolutamente necessário. Não use o fone de ouvido para ouvir música ou o celular, enquanto estiver pedalando.

O Código Nacional de Trânsito, no art. 201, diz que os motoristas devem “guardar a distância lateral de um metro e cinquenta centímetros ao passar ou ultrapassar uma bicicleta” e que os ciclistas, assim como os pedestres, têm preferência de passagem sobre os veículos motorizados.

Não confie que essa lei será sempre respeitada. Faça a sua parte. Conduzir uma bicicleta com segurança, considerando as características das ruas e avenidas por onde passa, deve ser preocupação constante de todos os ciclistas.

 

Fontes

 

 

 

 

 

Sobre o autor: Maria Helena Varella Bruna

Maria Helena Varella Bruna é redatora e revisora, trabalha desde o início do Site Drauzio Varella, ainda nos anos 1990. Escreve sobre doenças e sintomas, além de atualizar os conteúdos do Portal conforme as constantes novidades do universo de ciência e saúde.