Exercício físico e incontinência urinária em mulheres | Roda de conversa #7

Algumas atividades físicas podem agravar a incontinência urinária, problema que também atinge mulheres mais jovens.

Mariana Varella

Mariana Varella é editora-chefe do Portal Drauzio Varella. Jornalista de saúde, é formada em Ciências Sociais e pós-graduanda na Faculdade de Saúde Pública da USP. Interessa-se por saúde pública e saúde da mulher. Prêmio Especialistas Saúde 2021 e Prêmio Einstein Colunista +Admirados da Imprensa de Saúde e Bem-Estar 2021 @marivarella

Compartilhar

Algumas atividades físicas podem agravar a incontinência urinária, problema que também atinge mulheres mais jovens.

 

Diferentemente do que se imagina, a incontinência urinária não afeta apenas gestantes ou pessoas idosas. Em torno de 30% das mulheres sofrem com a perda involuntária de urina, sendo as atletas um dos grupos com o maior número de queixas. Na Roda de Conversa com nossa editora-chefe Marianna Varella, Aletha Caetano, especialista em esporte e assoalho pélvico, diferencia os três tipos de incontinência (de esforço, de urgência e mista) e dá dicas de como fortalecer a musculatura da região.

Aletha explica também que esportes de maior impacto, como o crossfit e as atividades de pular corda, estão relacionados a uma piora do quadro. Mas ressalta: não é preciso largar os exercícios físicos por conta da incontinência, apenas atentar-se à carga e condições suportadas por cada organismo. Com esses cuidados, inclusive, algumas atividades podem ser muito benéficas para a mulher com incontinência.

Conteúdo desenvolvido em parceria com a marca TENA https://www.tena.com.br

Veja também: A sobrecarga das mulheres cuidadoras | Roda de Conversa #6

Veja mais