Hepatite misteriosa e o risco de nova epidemia | Coluna

Será que a onda de casos de hepatite em crianças e adolescentes pode virar um nova epidemia? Entenda no vídeo a seguir. 

Drauzio Varella

Drauzio Varella é médico cancerologista e escritor. Foi um dos pioneiros no tratamento da aids no Brasil. Entre seus livros de maior sucesso estão Estação Carandiru, Por um Fio e O Médico Doente.

Compartilhar

Será que a onda de casos de hepatite em crianças e adolescentes pode virar um nova epidemia? Entenda no vídeo a seguir. 

 

Recentemente, surgiram vários casos de hepatite grave em crianças e adolescentes ao redor do mundo. Com evolução fulminante, algumas delas precisaram até de transplante de fígado. Ainda não se sabe muito sobre a causa da doença, entretanto, segundo especialistas, é improvável que esse surto se transforme em uma epidemia como a da covid-19.

Além disso, ele também explica por que é pouco provável que os casos estejam relacionados ao Sars-CoV-2 ou à vacina da covid. Assista e fique por dentro.

A semana passada nós falamos sobre esses casos de hepatite grave que têm surgido em crianças e adolescentes. É uma hepatite de evolução muitas vezes fulminante, que leva a transplantes de fígado. Muita gente diz “poxa, mas será que isso vai causar uma epidemia outra vez? Nós, logo agora, estamos saindo de uma, vamos entrar em outra?”.

Eu fiz um programa no Fantástico, convidei vários especialistas de diversas áreas, brasileiros, um colega argentino, um outro que está nos Estados Unidos há muitos anos, pra falar o que eles pensam dessa hepatite, se eles acham que esse vírus vai ter força – se é que é um vírus, não é? –, vai ter força pra se espalhar como a covid.

A impressão de todos é de que não. Muita gente escreveu pra gente também aqui no site, dizendo, querendo saber se isso não tinha nada a ver com a covid ou com a vacina da covid. Com a vacina, certamente não. E com a covid? Aparentemente, não, porque a maior parte dessas crianças, mais de 80%, nem tiveram covid no passado e não têm anticorpos contra a covid.

Por que é que eles acham que não vai haver uma disseminação grande desse vírus? Por que o que aconteceu com a covid? A gente no início também pensava que esse vírus não ia ter força pra fazer o estrago que fez. Mas, quando aparecia um caso, apareciam outros casos rapidamente na mesma família, na vizinhança, entre os colegas de trabalho.

Essa hepatite tem aparecido pelo mundo inteiro, pelo menos pela Europa – começou na Inglaterra, apareceram casos em todos os países da Europa, com exceção de Portugal, que não teve ainda nenhum diagnóstico. E agora no Brasil há vários casos, na Argentina, então provavelmente chegou à América Latina também. Mas não tem essas características. Você não vê pessoas da mesma casa que se infectaram pelo mesmo vírus. Você vê uma criança com esse tipo de hepatite e os irmãos que passam o tempo inteiro juntos sem desenvolvê-la.

Então, muito provavelmente, é a opinião de todos, esses casos são casos esporádicos. Por que que eles apareceram? Parece que há um vírus, um adenovírus, que provoca normalmente quadros intestinais etc, mas que não leva a casos de hepatite tão graves, dessa maneira. Ainda existem muitos aspectos dessa transmissão e da evolução muito obscuros ainda, né?, mas tem havido muitos estudos nessa área e nós vamos saber qual será o futuro dessas hepatites.

Alguns dizem até que “as crianças ficaram muito isoladas durante a pandemia e aí deixaram de desenvolver uma imunidade mais harmoniosa, que é a imunidade que as crianças adquirem ao contraírem outras infecções. Na verdade, não se sabe qual é a razão, o que está acontecendo, mas a opinião dos especialistas, e dos maiores especialistas, é que essa doença não tem força pra se espalhar e causar uma grande epidemia.

Felizmente, era só o que faltava agora, né?

Veja também: O que sabemos (até agora) sobre a hepatite misteriosa em crianças | Coluna

Veja mais