Pediatria

6 perguntas e respostas sobre o sono do bebê

bebê dormindo. rotina ajuda a estabelecer o sono do bebê

Especialista esclarece dúvidas a respeito dos sono do bebê e explica como criar uma rotina. 

 

O sono do bebê é um assunto que pode causar dor de cabeça em muitos pais. A rotina com um recém-nascido é sempre bastante cansativa, e no início é normal que o dia a dia da família seja bem impactado e as horas de sono dos cuidadores, reduzidas.

Com o passar dos meses, é natural ir se adaptando à vida com o novo membro da casa e descobrindo que rituais e hábitos podem tornar essa rotina um pouco mais tranquila (mas lembre-se de que cada bebê é diferente e não se cobre tanto em relação aos avanços da criança, nem fique comparando com outras crianças!). 

Abaixo respondemos algumas dúvidas comuns a respeito do sono do bebê:

 

1. Como criar uma rotina que ajude na noite de sono?

 

Para os bebês, é muito útil marcar bem dia e noite, o que ajuda no estabelecimento de uma rotina. Segundo a dra. Cristiane Fumo dos Santos, médica pneumologista pediátrica e presidente do departamento de Medicina do Sono na Criança e no Adolescente da Sociedade de Pediatria de São Paulo (SPSP), o bebê inicia sua produção de melatonina (hormônio que ajuda a estabelecer o círculo circadiano e a regular o sono) por volta dos três meses de idade. “Por isso, nas primeiras semanas, o sono é bem bagunçado. A rotina ajuda. O leite materno também, porque ele é fonte de melatonina”, explica. 

Pela manhã, abra as janelas do quarto para que entre luz natural, leve o bebê para tomar sol (durante a pandemia, o banho de sol pode ser feito na janela, com o vidro aberto) e siga as atividades diárias da casa normalmente. À noite, procure reduzir os estímulos. Apague as luzes no cômodo onde o bebê está, abaixe o som da TV e evite outros ruídos e não estimule-o durante os despertares noturnos. Deixe as atividades estimulantes e brincadeiras para fazer durante o dia. 

Veja também: Como dar banho no bebê

Você também pode criar um ritual para fazer todos os dias na hora de dormir. Bebês mais novinhos costumam dormir enquanto estão mamando. Nesse caso, basta colocá-los no berço. Quando eles ainda estão acordados após a mamada, a recomendação é colocá-los no berço sonolentos, mas ainda acordados. Conforme o intervalo entre a mamada e o sono fica maior, escove os dentes após a última mamada, coloque o pijama e conte uma história antes de dormir ou outra atividade que ajude a relaxar — como uma oração ou uma música tranquila. Muitos pais também optam por incluir um banho morno na rotina noturna. O importante é descobrir o que funciona melhor para cada um. 

 

2. Quantas horas por dia é normal o bebê dormir?

 

Bebês recém-nascidos dormem muito. Conforme eles vão crescendo, a quantidade de sonecas é reduzida. Mas não existe um número ideal de horas a serem dormidas, pois essa faixa é bem ampla. Em geral, segundo a médica, bebês de até 3 meses dormem entre 11 e 19 horas por dia e bebês de 4 a 11 meses dormem de 10 a 18 horas (somando todas as horas dormidas dentro das 24 horas do dia). “O importante é observarmos se o bebê está bem com a quantidade de sono que ele está apresentando. Bebê com sono é bebê irritado”, afirma a dra. Cristiane. 

 

3. O bebê está dormindo há muito tempo. É preciso acordá-lo para mamar?

 

Normalmente, isso não é necessário. De acordo com a médica, a crença de que o bebê precisa acordar de três em três horas é mito, assim como a crença de que o leite da mãe é fraco quando o bebê mama de hora em hora. Apenas bebês prematuros ou que não estão ganhando o peso adequado para a sua idade em alguns casos precisam ser acordados. “Sempre vale a pena conversar com o pediatra para avaliar os casos individuais e o ganho de peso”, explica. 

 

4. Como manter o bebê seguro durante o sono?

 

O local mais seguro para os bebês dormirem é o berço. A recomendação da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) é que bebês de até 6 meses durmam em berço no quarto dos pais e entre 6 e 12 meses, passem para seu quarto. Bebês que nasceram prematuros, têm alguma condição de saúde ou estão com vacinas atrasadas devem permanecer no quarto dos pais. 

Veja também: Puerpério na pandemia

Além disso, o indicado é posicioná-los de barriga para cima (quando aprendem a rolar, não há necessidade de desvirar) e sem adornos no berço (segundo a pediatra, nenhum dispositivo reduz o risco de morte súbita). O ambiente deve ser livre de tabaco. “Em resumo, o sono seguro do bebê é sozinho, de barriga para cima e no berço. Cama compartilhada só a partir de 1 ano”, orienta.  

 

5. O que fazer para estimular o bebê a dormir sozinho?

 

O ideal é colocar o bebe sonolento, mas ainda acordado no berço. Quanto antes isso for feito, mais rápido ele vai dormir sozinho. “Na verdade, todos nós, independentemente da idade, dormimos por ciclos. No final de cada ciclo, temos um breve despertar para checarmos se o ambiente continua igual ao que estava quando dormimos. Se o bebê dormiu no colo e acorda no berço, opa! Tem algo estranho aqui. Ele vai precisar do colo novamente para dormir. Se ele dorme mamando, vai precisar mamar não necessariamente por fome, mas sim porque ele associou o sono ao mamar. Por outro lado, se ele dormiu no berço, acordou no berço, ele tem a possibilidade de voltar a dormir sozinho, sem a necessidade da intervenção dos pais”, afirma a médica. 

 

6. É sempre necessário intervir nos despertares noturnos?

 

Algumas pessoas optam por não atender o bebê prontamente sempre que ele desperta e chora um pouco. Existem estudos que apontam que essa atitude não causa consequências negativas a longo prazo, porém, é difícil colocá-la em prática, até porque muitas vezes não se sabe qual é o motivo de choro (se é apenas uma forma de pedir pela presença dos pais ou se é algo mais sério).

Veja também: Principais dúvidas sobre amamentação

A recomendação aqui, de acordo com a dra. Cristiane, é associar o momento do sono com algo que estará presente quando o bebê acordar, como mencionamos na pergunta anterior. Assim, será mais fácil o bebê voltar a dormir novamente sem precisar da intervenção dos pais.

Antes de colocá-lo para dormir, faça o ritual com o qual estão acostumados: mamar, escovar os dentes, vestir o pijama, etc. Então, coloque o bebê no berço. “Chorou? Atenda sempre e procure intervir o mínimo possível – em vez de pegar no colo, tente tocar o bebê, conversar. Continua bravo? Pegue no colo. E tente sempre o mínimo de intervenção”, finaliza.

Sobre o autor: Maiara Ribeiro

Maiara Ribeiro é repórter do Portal Drauzio Varella desde 2018. Tem interesse em assuntos relacionados à saúde da criança, da mulher e do idoso.