15 dúvidas sobre a vacina contra a dengue

Campanha de vacinação contra a dengue começa em fevereiro. Veja as principais dúvidas sobre a vacina na coluna de Mariana Varella.

menino sentado recebe a vacina contra a dengue Qdenga

Compartilhar

Publicado em: 01/02/2024

Revisado em: 30/01/2024

Veja as principais dúvidas sobre a nova vacina contra a dengue, a Qdenga. Campanha de vacinação contra a doença começa em fevereiro. Leia na coluna de Mariana Varella.

 

O início da campanha de vacinação contra a dengue pelo SUS, marcado para fevereiro, causou muitas dúvidas na população. Aqui respondemos às principais:

 

1. O que é a dengue e como ela é transmitida?

A dengue é uma doença viral transmitida pela picada da fêmea do Aedes aegypti, um mosquito diurno que se multiplica em depósitos de água parada acumulada nos terrenos, quintais e dentro das casas. Existem quatro tipos diferentes desse vírus: os sorotipos 1, 2, 3 e 4. Todos podem causar as diferentes formas da doença.

Veja também: Saúde oferecerá vacina contra a dengue no SUS

A infecção por um sorotipo confere imunidade duradoura contra ele, mas não protege contra os demais. A infecção sequencial por sorotipos diferentes aumenta o risco de formas graves da doença.

A doença pode ser assintomática; quando surgem, os sintomas costumam ser febre alta (39ºC a 40ºC), de início repentino, associada a dor de cabeça ou atrás dos olhos; prostração; dores musculares e nas articulações (juntas); vermelhidão no corpo (exantema); náuseas e vômitos; diarreia e dor de barriga; e sangramento espontâneo.

 

2. A dengue é muito prevalente no Brasil?

Sim, e 2024 pode ser o ano com o maior número de casos da história do país, se a tendência notada nas primeiras semanas se mantiver ao longo do período. Nas três primeiras semanas de 2023, foram registrados 44.753 casos prováveis da doença, ante 120.874 casos registrados nas três primeiras semanas deste ano.

 

3. Qual vacina será usada na campanha e quantas doses são necessárias?

A vacina utilizada será a Qdenga, que é produzida com vírus atenuado e indicada para pessoas de 4 a 60 anos de idade. Ela pode ser aplicada tanto em quem já teve dengue quanto em quem nunca tenha manifestado a doença. 

Ela protege contra os quatro sorotipos diferentes da dengue, mas o imunizante é composto apenas do sorotipo 2 do vírus (DENV-2). A tecnologia utilizada é a do DNA recombinante. No caso, são usados os sorotipos 1, 3 e 4 para modificar o sorotipo 2 geneticamente, assim a vacina protege contra todos os sorotipos.

A vacina estará disponível em duas doses, que devem ser tomadas com intervalo de três meses entre as aplicações. 

 

4. A Qdenga é segura e eficaz?

A segurança da vacina foi comprovada por meio de estudos e atestada pela Anvisa.

Os resultados de eficácia da vacina contra todos os sorotipos de dengue são animadores: nos estudos clínicos, a vacina preveniu 80,2% dos casos sintomáticos causados por qualquer sorotipo após 12 meses da segunda dose e reduziu as hospitalizações em 90%.

A vacina demonstrou ser eficaz contra o DENV-1 (69,8%), DENV-2 (95,1%) e DENV-3 (48,9%). A eficácia contra o DENV-4 não pôde ser avaliada nesse período, devido ao insuficiente número de casos de dengue causados por esse sorotipo durante o estudo.

É importante ressaltar que, no Brasil, os tipos circulantes nos últimos anos foram exatamente aqueles contra os quais a Qdenga é mais eficaz, o DENV-1 e o DENV-2.

 

5. Qual será o público-alvo da campanha de vacinação pelo SUS?

Serão priorizadas crianças de 10 a 14, público que concentra a maior parte das hospitalizações pela doença depois dos idosos, grupo para o qual a vacina não foi autorizada. 

 

6. Por que apenas alguns municípios receberão o imunizante?

Em nota, o Ministério da Saúde diz que: “A definição de um público-alvo e regiões prioritárias para a imunização foi necessária em razão da capacidade limitada de fornecimento de doses pelo laboratório fabricante da vacina. A primeira remessa com cerca de 757 mil doses chegou ao Brasil no último sábado. O lote faz parte de um total de 1,32 milhão de doses fornecidas pela farmacêutica. Outra remessa, com mais de 568 mil doses, está com entrega prevista para fevereiro.  

“Além dessas, o Ministério da Saúde adquiriu o quantitativo total disponível pelo fabricante para 2024: 5,2 milhões de doses. De acordo com a empresa, a previsão é que sejam entregues ao longo do ano, até dezembro. Para 2025, a pasta já contratou 9 milhões de doses”. 

Veja aqui a lista dos municípios que receberão a vacina.

 

7. Quais os critérios para definir as regiões selecionadas?

As regiões selecionadas atendem a três critérios: são formadas por municípios de grande porte, com mais de 100 mil habitantes; registram alta transmissão de dengue no período 2023-2024; e têm maior predominância do sorotipo DENV-2. 

 

8. Quais estados receberão a vacina?

Na última semana, o Ministério da Saúde divulgou que 521 municípios de 16 estados mais o Distrito Federal preenchem os requisitos para iniciar a vacinação. Serão contemplados municípios dos seguintes estados: Acre, Amazonas, Bahia, Distrito Federal, Espírito Santos, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Paraíba, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Roraima, Santa Catarina, São Paulo e Tocantins.

 

9. A Qdenga está disponível na rede privada de saúde? 

Nas clínicas particulares, pessoas entre 4 e 60 anos podem receber o imunizante, com exceção de grávidas, lactantes e indivíduos imunocomprometidos. O preço varia entre 300 e 450 reais cada dose.

 

10. Será preciso uma dose de reforço?

Até o momento, não há dados que indiquem a necessidade de reforço, mas os estudos seguem em andamento.

Veja também: Nova vacina contra a dengue

 

11. Todo mundo pode tomar a vacina?

Por conter vírus atenuado, grávidas, mulheres que estejam amamentando (lactantes) e indivíduos imunocomprometidos não devem tomar a vacina contra a dengue. 

 

12. Já tive dengue. Quanto tempo depois posso tomar a vacina?

Embora esse dado não tenha sido avaliado nos estudos, a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) recomenda que se aguarde seis meses entre o início dos sintomas da doença e a vacinação.

 

13. Tive dengue após a primeira dose. Quanto tempo devo aguardar para tomar a segunda dose?

O estudo com a vacina não encontrou impacto de episódio de dengue entre as doses das vacinas, mas a SBIm recomenda que se espere ao menos 30 dias depois do início dos sintomas da doença para tomar a segunda dose do imunizante.

 

14. Quais os efeitos adversos da vacina?

Embora a segurança da vacina seja comprovada, a bula do laboratório Takeda, que produz o imunizante, afirma que a vacina pode causar alguns efeitos que costumam ser observados em outras vacinas: dor e vermelhidão no local da aplicação, mal-estar, fraqueza, entre outros.

Mais raramente podem surgir sintomas semelhantes aos da gripe, como dor de garganta e febre baixa. No entanto, os efeitos costumam ser leves e duram poucos dias.

 

15. A vacina contra a dengue protege contra outras arboviroses, como zika, febre amarela e chikungunya?

Não, a Qdenga protege somente contra a dengue. 

Veja também: Como saber se estou com dengue

 

Fontes: Ministério da Saúde, Agência Brasil e Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm)

Veja mais

Sair da versão mobile