Uso de testosterona para ganho de massa muscular: quais são os riscos?

O hormônio, quando usado inadequadamente, prejudica a saúde e traz complicações.


Equipe do Portal Drauzio Varella postou em Endocrinologia

homem musculoso mostra vidro de medicamento. uso de testosterona para ganho de massa muscular traz riscos

Compartilhar

Publicado em: 16/05/2023

Revisado em: 16/05/2023

O hormônio, quando usado inadequadamente, prejudica a saúde e traz complicações. Veja os riscos do uso de testosterona para ganho de massa muscular.

 

A testosterona é um dos principais hormônios sexuais masculinos e desempenha várias funções importantes, como desenvolvimento do pênis e dos testículos, aumento de libido e aparecimento de pelos.

Tanto homens como mulheres produzem testosterona, mas nelas os níveis do hormônio são bem mais baixos.

No entanto, muitas vezes, ele é usado para aumentar a massa muscular, principalmente para quem deseja a hipertrofia (aumento de tamanho ou volume de um órgão ou músculo por conta de atividades celulares). Mas será que seu uso pode ser prejudicial à saúde?

De acordo com Páblius Braga, médico do exercício e do esporte do Hospital Nove de Julho, em São Paulo, a atitude não é recomendável. “A testosterona deve ser usada em casos comprovados de deficiência na sua produção, quando isso compromete a saúde clínica e física dos pacientes”, explica. 

        Veja também: Deficiência de testosterona | Artigo

 

Riscos para a saúde e complicações 

O uso da testosterona em quantidades inadequadas e sem indicação médica é bastante arriscado para a saúde. Em excesso, o hormônio altera o organismo de forma geral. 

“Os níveis elevados de testosterona levam ao aumento do risco de trombose e da contagem de glóbulos vermelhos, o que pode provocar um acidente vascular cerebral. Além disso, altera os níveis de colesterol, aumentando a chance de doença coronariana”, destaca Felipe Henning Gaia Duarte, endocrinologista e diretor da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia de São Paulo (SBEM-SP). 

Os especialistas reforçam que as complicações do uso de testosterona são diferentes entre os sexos. No entanto, tanto em homens quanto em mulheres o hormônio pode alterar a fertilidade. 

Há ainda o risco de provocar alterações nas células do fígado e, em longo prazo, causar inflamações e até formação de tumores.

Em mulheres, o uso de testosterona pode provocar: 

Já em homens, os efeitos do excesso de testosterona são: 

  • Aumento de pelos; 
  • Diminuição na produção de espermatozoides;
  • Aumento da próstata (risco aumentado de câncer); 
  • Aumento das mamas (ginecomastia);
  • Insônia;
  • Comportamento mais agressivo e irritabilidade;
  • Mudanças de humor. 

“Apesar de ser notório o ganho ponderal e de massa muscular, as doses precisam ser muito altas e sequenciais para sua manutenção. Portanto, não se justifica o grande risco que correm tanto homens quanto mulheres sem indicação formal do uso da testosterona”, complementa o dr. Braga. 

        Ouça: Terapia hormonal – DrauzioCast #182

 

Proibição da prescrição de anabolizantes para ganho de massa muscular

Em abril de 2023, o Conselho Federal de Medicina (CFM) proibiu a prescrição de terapias hormonais com esteroides androgênicos e anabolizantes para fins estéticos — ganho de massa muscular e melhora da performance esportiva. 

De acordo com o documento, não há comprovação científica de que essas terapias sejam seguras e eficazes. Vale lembrar que, entre os anabolizantes usados, destacam-se os hormônios esteroides, ou seja, a testosterona e derivados. 

Por outro lado, o CFM reforça a necessidade e a importância do uso de terapias de reposição hormonal em casos de deficiências comprovadas por especialistas.

 

Como estimular os níveis de testosterona de forma natural?

Uma forma de estimular os níveis de testosterona no organismo é manter hábitos saudáveis durante toda a vida. 

Em linha gerais, praticar exercícios de qualquer modalidade, mas com ênfase aos exercícios de força, estimula a otimização da testosterona corporal e mantém o equilíbrio hormonal.

“Além disso, é importante manter um peso saudável, pois a obesidade causa a queda de testosterona. Dormir bem também é um fator que contribui com os níveis de testosterona, já que ela é produzida principalmente durante o sono”, acrescenta o dr. Duarte.

A alimentação saudável também ajuda a aumentar a testosterona no organismo. Vale a pena investir diariamente em alimentos integrais, carnes magras, frutas e verduras variadas. 

        Veja também: Reposição de testosterona em idosos | Artigo

 

A importância do acompanhamento médico

Quem decide praticar atividade física deve consultar um especialista antes de começar a se exercitar. 

O profissional de educação física, por exemplo, desenvolve um treino de acordo com o objetivo do indivíduo, visando sempre minimizar os riscos de lesões. 

Já o médico avalia os níveis hormonais e se há necessidade de corrigi-los ou recorrer a algum tipo de suplementação. 

 

Sobre a autora: Samantha Cerquetani é jornalista com foco em saúde e ciência e colabora com o Portal Drauzio Varella. Escreve sobre medicina, nutrição e bem-estar.

Veja mais

Sair da versão mobile