Drauzio Varella

Taquicardia e Bradicardia

paciente idoso realiza eletrocardiograma para identificar taquicardia e bradicardia

Taquicardia e bradicardia são distúrbios do ritmo cardíaco que provocam sensação de falha no batimento do coração. Cafeína, fumo, álcool e outras drogas estimulantes (legais ou ilícitas) podem desencadear os problemas. 

 

Arritmia ou palpitação é um distúrbio do ritmo cardíaco, que provoca a sensação de que o coração deixou de dar uma batida. Na maioria das vezes, se ocorre ocasionalmente, esse fato não tem consequências. Em alguns casos, porém, pode ser sinal de um problema mais grave.

O ritmo das batidas de um coração normal descansado é de 60 a 100 por minuto. Os átrios (as duas câmaras menores do coração) contraem-se simultaneamente e o mesmo acontece, logo em seguida, com os ventrículos (as duas câmaras maiores). Esse mecanismo ocasiona a “batida dupla” característica do coração: tum-tá, tum-tá… Exercícios ou estresse emocional podem aumentar o ritmo cardíaco para até 200 ou mais pulsações. Em pessoas com coração sadio, quando a demanda de esforço volta ao normal, o ritmo cardíaco também se restabelece rapidamente.

Veja também: Leia entrevista sobre arritmia cardíaca

Não entanto, às vezes as arritmias se instalam por um período maior de tempo. O coração pode bater demasiado lento (bradicardia), ou demasiado rápido (taquicardia).

Na maioria dos casos, as arritmias são breves, desaparecem espontaneamente e não representam risco para a saúde. No entanto, se o ritmo cardíaco acelerado tornar-se constante, pode conduzir à falência cardíaca congestiva. Arritmias graves, muitas vezes, ocorrem por causa de infartos do miocárdio.

Cafeína, fumo, álcool e outras drogas estimulantes (legais ou ilícitas) podem desencadear batimentos extras tanto nos átrios quanto nos ventrículos. Usualmente as arritmias desaparecem assim que a pessoa afasta os fatores desencadeantes. Todavia, se os batimentos extras forem rápidos ou muito lentos e vierem acompanhados de tontura e falta de ar, o quadro merece atenção porque pode indicar doenças cardíacas.

Um tipo de arritmia cardíaca grave, com risco de morte, é a chamada “fibrilação” que ocorre quando os átrios ou os ventrículos se contraem de forma irregular, descoordenada. Pessoas com aterosclerose estão particularmente sujeitas a essa anomalia, que vem acompanhada de dor no peito nos casos de infarto.

 

Recomendações

 

 

Advertência

 

Palpitações acompanhadas de compressão ou aperto no peito ou de perda de consciência são graves. Procure socorro imediatamente.

 

Perguntas frequentes sobre taquicardia e bradicardia

 

Qual a diferença entre taquicardia e bradicardia?

A arritmia é um distúrbio do ritmo cardíaco. Quando o coração bate muito rápido, chamamos de taquicardia; quando o coração bate mais devagar, isso caracteriza a bradicardia.

Em geral as arritmias desaparecem assim que a pessoa afasta os fatores desencadeantes. Todavia, se os batimentos extras forem rápidos ou muito lentos e vierem acompanhados de tontura e falta de ar, o quadro merece atenção porque pode indicar doenças cardíacas.

 

Quais valores caracterizam a taquicardia e a bradicardia?

A taquicardia ocorre quando o coração bate rápido demais, acima de 100 batimentos por minuto. A bradicardia, por sua vez, acontece quando as batidas são mais lentas, abaixo de 50 batimentos por minuto.

Sair da versão mobile