Uma picada de escorpião provoca dor intensa mas, na maior parte dos casos, não leva a óbito. Crianças, porém, têm maior risco de sofrer quadros graves. Saiba o que fazer em caso de acidentes.

 

Os escorpiões são animais invertebrados que apresentam corpo, quatro pares de pernas e cauda, na ponta da qual há bolsas de veneno e um ferrão. Embora existam inúmeras espécies desses animais, nem todas possuem um veneno tóxico o bastante para causar acidentes graves com sua picada.

Escorpiões podem ser encontrados em todas as regiões do território brasileiro, tanto na área urbana quanto na zona rural. São animais de hábitos noturnos que, em regra, se escondem abrigados da luz, escondidos sob pedras, entulhos, lenha, material de construção, encanamentos, dentro de calçados e roupas, no interior das casas e em seus arredores. São carnívoros. Alimentam-se de insetos, como cupins, grilos e baratas (especialmente), mas podem sobreviver longos períodos sem comida e sem água.

 

Baixe aqui o aplicativo Dr. Drauzio Varella de Primeiros Socorros, para Android e iOS

 

No Brasil, a maior parte dos acidentes com animais peçonhentos é provocada pela picada dos escorpiões e ocorrem dentro das casas. Em geral, os ataques ocorrem quando, de alguma forma, eles se sentem ameaçados com a proximidade de uma pessoa. É o caso, por exemplo, ao calçar um sapato sem verificar se há um escorpião dentro.

Crianças, donas de casa e pessoas que trabalham em construção civil e com manipulação de produtos hortifrutigranjeiros fazem parte do grupo de maior risco. No Brasil, o Nordeste é a região com maior ocorrência de acidentes, seguida do Sudeste e Centro-Oeste.

 

Leia também: Entrevista sobre doenças tropicais

 

Sintomas

 

Dor intensa, sensação de ardência ou agulhadas, inflamação no local são os sintomas mais comuns de picadas de escorpião, mas há casos em que a dor é discreta.

Quadros moderados podem acarretar náusea, vômito, aumento da frequência cardíaca, sudorese, enjoos, dificuldade para respirar e queda de pressão.

Nos casos graves, mais frequentes em crianças, o vômito pode ser abundante, assim como o suor. Outros sintomas incluem agitação, apresentar movimentos descoordenados, dificuldade para caminhar, sonolência, confusão mental, tremores e espasmos.

 

Tratamento

 

São medidas importantes aplicar compressa morna no local, tomar analgésicos comuns para alívio da dor, permanecer em repouso e procurar assistência médica, levando consigo, sempre que possível, o animal que a atacou. Se não for possível capturá-lo com segurança, tire fotografias. Isso ajuda a identificar com mais rapidez o antídoto que deve ser administrado, se for o caso.

Na maior parte das vezes, medidas simples para amenizar a dor de picadas de escorpião são suficientes. Contudo, alguns escorpiões, como o amarelo (espécie Tityus serrulatus, da imagem acima), possuem um veneno muito tóxico. Se o quadro não regredir e a pessoa (especialmente se for criança) apresentar sintomas típicos de um caso grave, os profissionais irão tomar medidas adicionais. Lembre-se que é importante procurar ajuda o quanto antes.

 

Recomendações

 

  • Mantenha sua casa, o quintal, o jardim sempre limpos, sem acúmulo de lixo ou de objetos que possam servir de esconderijo para escorpiões;
  • Instale telas nas portas e janelas. Vede as frestas;
  • Examine roupas e calçados antes de usá-los;
  • Use botas de cano longo, mangas compridas e luvas quando manipular objetos em locais que possam servir de abrigo para escorpiões;
  • Não hesite. Procure imediatamente atendimento médico se suspeitar que uma pessoa foi  picada por um escorpião. Caberá ao médico avaliar a gravidade e as consequências do ferimento.