Doenças e sintomas

Fissura anal

Executivo de costas com mão nas nádegas e segurando rolo de papel higiênico, em sinal de fissura anal

A fissura anal é um pequeno corte que ocorre na borda anal e que tem como causas principais a prisão de ventre e fezes muito volumosas e endurecidas.

 

A fissura anal é um corte (laceração) ou ferida localizada no tecido da borda anal, a parte externa do canal do ânus.

Veja também: Entrevista sobre o funcionamento dos intestinos

 

Causas da fissura anal

 

As causas mais comuns são excesso de força na hora de evacuar devido a fezes endurecidas ou volumosas, diarreia e prisão de ventre (constipação intestinal). Outras doenças, como colite ulcerativa e doença de Crohn, também podem desencadear o problema.

Ela pode ser classificada em dois tipos:

  • Aguda: Caracteriza-se pelo aparecimento do ferimento após um trauma local, como uma evacuação com fezes endurecidas;
  • Crônica: Quando a fissura não cicatriza. Assim, tende a reaparecer inúmeras vezes, com continuidade dos sintomas.

 

Sintomas da fissura anal

 

As fissuras provocam dor e sangramento moderado, de cor viva, normalmente durante ou após uma evacuação. O paciente também pode sentir ardor ao se sentar.

A dor dura vários minutos ou horas e, então, melhora até a próxima evacuação.

 

Diagnóstico de fissura anal

 

O diagnóstico é baseado na história clínica do paciente e também no exame físico realizado por um proctologista. O exame consiste no afastamento das nádegas e visualização do ânus, sem toque, por conta da dor.

 

Tratamento da fissura anal

 

Anestésicos tópicos aplicados na região anal (como benzocaína ou lidocaína) ou um banho de assento morno (não quente) de 10 a 15 minutos após cada evacuação aliviam o desconforto e ajudam a aumentar o fluxo sanguíneo, o que promove a cicatrização. A imersão é realizada com a pessoa de cócoras em uma bacia ou sentada em um bidê ou banheira parcialmente cheia.

As fissuras que demoram para cicatrizar precisam ser reavaliadas por especialista, e alguns casos podem necessitar de cirurgia. O tratamento cirúrgico tem como objetivo diminuir a capacidade de contração do esfíncter anal interno. Com isso, consegue-se melhorar o fluxo de sangue para o local da fissura, o que estimula sua cicatrização.

Normalmente, a grande maioria dos casos responde bem ao tratamento clínico, sem necessidade de cirurgia.

 

Recomendações para lidar com a fissura anal

 

  • É importante aumentar o consumo de fibras (25 g a 30 g  diárias);
  • Beba diariamente 2 litros de água para garantir o bom funcionamento do intestino.
  • Não tenha vergonha de buscar tratamento médico, faz parte da rotina e do trabalho dos especialistas lidar com o problema. A demora para procurar ajuda pode fazer a condição se tornar crônica;
  • Não adie as idas ao banheiro para evacuar, pois isso faz com que as fezes fiquem ressecadas, o que dificulta a evacuação.

 

Perguntas frequentes sobre fissura anal

 

Fissura anal é o mesmo que hemorroida?

Não. Fissura é um corte ou ferimento na borda do ânus que causa dor enquanto não for cicatrizado. Já hemorroidas são varizes ou veias dilatadas ao redor do ânus ou do reto, às vezes com prolapso (quando o intestino se projeta para fora do ânus), que causam sangramento e coceira, mas nem sempre dor.

 

Como cicatrizar a fissura anal?

Normalmente o organismo se encarrega da cicatrização em no máximo uma semana, mas você pode ajudar. Se possível, enquanto estiver com fissura, evite usar papel higiênico e faça a higiene com água morna. Se o problema persistir, não deixe de procurar um proctologista.

 

Prisão de ventre causa fissura anal?

Sim. Daí a importância de adequar a dieta, aumentando o consumo de água e de fibras, que promovem o funcionamento do intestino.

Sobre o autor: Juliana Conte

Juliana Conte é jornalista, repórter do Portal Drauzio Varella desde 2012. Interessa-se por questões relacionadas a manejo de dores, atividade física e alimentação saudável.