Diabetes, você já deve ter ouvido falar, é doença traiçoeira e silenciosa. Acomete aproximadamente 12,5 milhões de brasileiros e é a terceira maior causa de morte no País. O grande problema é que metade dos diabéticos nem imaginam ter a doença.

O diabetes tipo 2, que representa mais de 90% dos casos, acomete pessoas principalmente a partir dos 40 anos e tem relação significativa com genética, envelhecimento, excesso de peso e sedentarismo.

Muitos pacientes só descobrem a doença quando surgem complicações graves, como alterações nos rins, infarto ou AVC. A seguir, listamos três sintomas característicos da enfermidade que merecem atenção e podem indicar a possibilidade da doença antes que eventos graves ocorram. Lembre-se: quanto mais rápido o diagnóstico, menor o risco de complicações.

1. Muita sede e vontade excessiva de urinar

Como o açúcar não é adequadamente absorvido pelas células dos portadores de diabetes, ele se acumula na corrente sanguínea. De qualquer forma, o excesso precisa ser expelido do organismo; logo, os rins são acionados com frequência. O paciente, então, urina muito, fica desidratado e tem muita sede.

2. Fome e cansaço

O açúcar proveniente dos alimentos e que nos serve de fonte de energia não é aproveitado de forma suficiente pelas células de quem tem diabetes. Assim, mesmo se alimentando, o paciente sente fome e cansaço. A sensação é semelhante a de quando a pressão arterial está muito baixa.

3. Visão turva

O excesso de glicose no sangue causa uma espécie de inchaço do cristalino, a lente dos olhos, mudando sua forma e flexibilidade. A alteração diminui a capacidade de foco, o que torna a visão embaçada. A visão costuma ficar turva quando a glicemia está muito elevada, voltando ao normal após o controle da doença.

 

Exames

 

Os exames de glicemia e hemoglobina glicada são os mais utilizados pelos médicos especialistas para confirmar o diagnóstico de diabetes. Os valores normais da glicemia em jejum de oito horas são inferiores a 99 mg/dL (miligramas de glicose por decilitro de sangue). Valores acima de 126 mg/dl indicam que a pessoa pode ter a doença. Já a hemoglobina glicada é medida em porcentagem e tem os seguintes valores de referência:

  • Menor do que 5,7%: Baixo risco de diabetes
  • Entre 5,7 e 6,4%: Pré-diabetes
  • Maior ou igual a 6,5%: Diagnóstico de diabetes