Coronavírus

Moro com pessoas mais vulneráveis; como protegê-los?

mulher adulta e mãe idosa tomam café. Idosos são mais vulneráveis ao coronavírus

É essencial cuidar de idosos e doentes crônicos, mais vulneráveis ao novo coronavírus, pois neles a doença pode ser mais grave. Saiba como proteger.

 

A covid-19, doença causada pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2), em geral causa sintomas leves nas pessoas com menos de 60 anos. No entanto, para os mais velhos, a infecção pode ser grave e até levar à morte.

Veja também: Existem cuidados especiais em crianças para evitar o novo coronavírus?

Por isso, é importante proteger os idosos, as pessoas com doenças crônicas como diabetes e hipertensão e as que estejam com a imunidade comprometida, como pacientes em tratamento oncológico ou que convivem com HIV.

Se você mora ou convive com pessoas desses grupos, siga as seguintes recomendações do Ministério da Saúde e oriente para que todos da casa também sigam:

  • Restrinja as visitas às pessoas mais vulneráveis. O ideal é que poucos parentes ou cuidadores fiquem responsáveis pelas compras e demais cuidados necessários, pois o grupo de risco deve restringir ao máximo o contato social;
  • Também separe objetos e utensílios como talheres e toalhas para que cada pessoa vulnerável tenha o seu, ou, caso elas morem sozinhas, oriente-as para que compartilhem o mínimo possível.
  • Lave as mãos sempre após ter estado em locais de passagem de muitas pessoas, como o transporte público (dr. Drauzio ensina aqui como lavar corretamente);
  • Evite aglomerações para evitar ser contaminado;
  • Cumprimente as pessoas de longe, evitando tocar;
  • Limpe com água e detergente superfícies e objetos que são tocados com frequência, como mesas e celulares.
  • Não deixe crianças pequenas junto com os avós em casa, pois elas são, normalmente, grandes transmissoras de doenças;
  • Para idosos, doentes crônicos e pessoas com outras condições especiais que normalmente exigem medicamentos, como pacientes oncológicos, transplantados e doente renais, a recomendação é conversar com o médico para que as receitas de medicamentos sejam renovadas e, se possível, dadas por um tempo maior. A medida é para evitar a necessidade de ir à farmácia no período de quarentena e de maior circulação de outros vírus respiratórios (influenza, por exemplo);
  • No caso de fazer algum tratamento contínuo, tire suas dúvidas quanto medicamentos com seu médico;
  • Atenção especial para os pacientes com doenças reumatológicas. A Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR) emitiu nota hoje em 18/03/2020 informando que pacientes que fazem uso de medicações imunossupressoras e/ou imunobiológicas (como azatioprina, micofenolato, ciclofosfamida, infliximabe, rituximabe e prednisona acima de 20mg ao dia) devem procurar assistência médica para avaliar a necessidade de suspender temporariamente essas medicações. Existe um aumento do risco de contaminação nos pacientes com doenças reumáticas que façam uso dessas medicações;
  • Certifique-se que o idoso esteja com a vacina da gripe em dia (a próxima campanha do governo federal começa no dia 23/03/2020).

Sobre o autor: Mariana Varella

Mariana Varella é editora do Portal Drauzio Varella. Formada em Ciências Sociais pela USP, atua na área de jornalismo de saúde, com foco em saúde da mulher. @marivarella

Leia mais