Tiramos algumas dúvidas sobre pílula do dia seguinte em 5 perguntas frequentes.

 

Há muito tempo, o tema ainda é um dos mais procurados nas nossas redes. Convidamos a ginecologista Patrícia de Rossi, do Conjunto Hospitalar do Mandaqui, para falar sobre algumas das dúvidas mais frequentes. Veja aqui as respostas para as perguntas mais frequentes sobre a pílula do dia seguinte.

Este conteúdo faz parte de uma parceria entre o Portal Drauzio Varella e o Grupo DPSP.

 

Quanto tempo tenho para tomar a pílula após a relação?

A eficácia da pílula é maior quanto mais cedo você tomar. Não espere até o dia seguinte. A princípio, você pode tomar em um prazo de até 72 horas, ou seja, até três após a relação sexual desprotegida, mas no primeiro dia a eficácia será melhor que se você tomar nos dias seguintes.

 

Como a pílula do dia seguinte evita a gravidez?

A pílula do dia seguinte bloqueia a ovulação. Se não há ovulação, não há o encontro do óvulo com o espermatozoide. A ideia é que o óvulo não seja liberado do ovário. Os hormônios da pílula bloqueiam um hormônio que faz parte do mecanismo de ovulação.

 

Tomar a pílula do dia seguinte protege durante todo os restante do mês?

De forma alguma. A pílula do dia seguinte bloqueia a ovulação, mas nada impede que essa ovulação ocorra posteriormente. Se você contar com a proteção da pílula de emergência para o resto do mês, você vai cair do cavalo. O ideal é que, a partir desse uso, todas as relações sexuais continuem sendo feitas com um método habitual de contracepção. Só quando a menstruação vier normalmente é que se pode ficar tranquila. Algumas pessoas perguntam se a pílula pode ser tomada duas vezes no mesmo mês. Pode, é melhor que não fazer nada, mas faz com que sua menstruação fique uma bagunça.

 

Tomar a pílula do dia seguinte desregula a menstruação?

Muitas pessoas imaginam que após tomar a pílula do dia seguinte a menstruação virá logo em seguida. Não. Metade das mulheres que tomam a pílula acabam menstruando na época em que elas estariam esperando normalmente, dois dias antes ou dois dias depois. Mas há também pessoas que menstruam dias antes ou que atrasam. Não quer dizer que a pílula não funcionou, mas a demora pode provocar angústia.

 

Entenda como funciona o ciclo menstrual: Sintomas do ciclo menstrual

 

Pílula do dia seguinte e uso contínuo

Como o nome diz, a pílula do dia seguinte é uma contracepção de emergência, ou seja, deve ser utilizada em um caso de exceção. Em primeiro lugar porque a eficácia é menor que de outros métodos. Em segundo, porque altera muito a menstruação, então você fica por um tempo sem ideia se está grávida ou não. E em terceiro, porque esse método não previne a transmissão de doenças. O ideal é que, havendo uma vida sexual ativa, faça-se uso de um método tradicional, manejando os efeitos colaterais. A pílula do dia seguinte é somente para casos em que tudo deu errado.