Não existe grupo de risco para a covid-19 | Coronavírus

O uso do termo "grupo de risco" dá uma falsa sensação de segurança às pessoas que não fazem parte dessa classificação. 

Drauzio Varella

Drauzio Varella é médico cancerologista e escritor. Foi um dos pioneiros no tratamento da aids no Brasil. Entre seus livros de maior sucesso estão Estação Carandiru, Por um Fio e O Médico Doente.

Compartilhar

O uso do termo “grupo de risco” dá uma falsa sensação de segurança às pessoas que não fazem parte dessa classificação. 

 

Desde a epidemia de aids, a utilização da expressão “grupo de risco” mostrou-se prejudicial. À época, faziam parte dessa classificação apenas os homens homossexuais. Assim, as mulheres e os heterossexuais masculinos, achando que não corriam perigo, continuaram se expondo e adoecendo.

Na pandemia de covid-19, a situação é parecida: a ideia de que apenas os mais idosos estariam ameaçados pelo vírus fez com que muitos jovens dispensassem cuidados essenciais, levando-os a quadros graves e, infelizmente, à morte.

Para o dr. Drauzio, são os comportamentos de risco que devem ser evitados. Ou seja, atitudes que aumentam as chances do indivíduo se infectar com a doença. Assista ao vídeo e saiba mais.

Veja também: Há grupos de risco para covid? | Coluna

Veja mais