7 perguntas e respostas sobre HIV na gestação

Pessoas que vivem com o vírus da imunodeficiência humana podem engravidar, mas são necessários alguns cuidados.

Maiara Ribeiro

Maiara Ribeiro é repórter do Portal Drauzio Varella desde 2018. Tem interesse em assuntos relacionados à saúde da criança, da mulher e do idoso.

Pessoas que vivem com o vírus da imunodeficiência humana podem engravidar, mas são necessários alguns cuidados.

Compartilhar

Publicado em: 19 de julho de 2022

Revisado em: 19 de julho de 2022

Pessoas que vivem com o vírus da imunodeficiência humana podem engravidar, mas são necessários alguns cuidados.

 

O vírus da imunodeficiência humana (HIV), causador da aids, não tem cura. Porém, diferente do cenário de décadas atrás, hoje existem medicamentos seguros e tratamentos avançados que proporcionam ao paciente uma qualidade de vida praticamente normal. 

Pessoas que vivem com HIV podem engravidar desde que estejam com a carga viral indetectável – quando o tratamento é capaz de reduzir a quantidade de vírus no sangue de forma que ele não é mais detectado por meio de testes laboratoriais padrão.

Com os devidos cuidados, é possível ter uma gravidez saudável e evitar a transmissão vertical (transmissão da mãe para o bebê durante a gestação ou o parto). Abaixo, respondemos a sete dúvidas sobre HIV na gravidez:

 

1) A gestação representa algum risco para quem tem HIV? 

A gestação em si não representa um risco maior para a gestante e nem para a criança, desde que a mãe tenha a carga viral no sangue negativa. Para isso, ela deve tomar rigorosamente os medicamentos antirretrovirais e ter o CD4 alto (CD4 são células do sistema imunológico que são alvo do HIV).

 

2)  Como evitar a transmissão vertical? 

O diagnóstico precoce e o tratamento adequado, feito com o uso dos medicamentos antirretrovirais, previnem a transmissão vertical e permitem que o bebê nasça saudável. O tratamento deve ser iniciado imediatamente após o diagnóstico. 

Veja também: Boas e más notícias sobre o combate ao HIV | Entrevista

 

3) O que fazer quando o HIV é descoberto durante a gestação? 

Mesmo após o contato do vírus, a pessoa pode viver por anos sem saber que tem HIV, já que os sintomas só aparecem quando o vírus causa aids. Por isso, é possível que algumas gestantes só recebam o diagnóstico durante a gravidez, quando é realizada a testagem. Após o diagnóstico, o tratamento com antirretrovirais deve ser iniciado imediatamente, e a gestante deve seguir o protocolo indicado pelo médico. Vale destacar que no Brasil o tratamento para HIV está disponível para todas as pessoas no SUS. 

 

4) Como é feita a testagem do HIV na gestante?

A testagem do HIV deve ser realizada no início do pré-natal, repetida no terceiro trimestre e na hora do parto. Durante a gravidez ainda é importante realizar o teste para outras infecções sexualmente transmissíveis (IST), como a sífilis e a hepatite B, que também podem ser transmitidas durante o parto. 

O pré-natal deve ser iniciado assim que a gravidez for descoberta, e o médico que a acompanha a gestante deve ser informado sobre a sua condição para realizar o acompanhamento com segurança para mãe e bebê.

 

5) Gestantes com HIV podem ter parto vaginal? 

Sim. Gestantes com HIV podem ter parto vaginal, desde que sua carga viral no sangue se mantenha não detectada, pois a transmissão também é possível durante o parto. 

 

6) Após o parto, o bebê também deve ser acompanhado?

Sim. Após o nascimento, o bebê pode receber diferentes esquemas de antirretrovirais temporariamente, a depender da condição viral da mãe. Normalmente, o acompanhamento é feito até um ano e meio de vida. 

 

7) Pessoas com HIV podem amamentar?

Não. O vírus pode ser transmitido através do leite materno e, por isso, a amamentação é contraindicada para quem vive com HIV, mesmo que a carga viral esteja negativa. 

 

Fontes: Dra. Zarifa Khoury, médica infectologista das enfermeiras do Instituto de Infectologia Emílio Ribas; Ministério da Saúde. 

Veja também: Quais exames pré-natais as grávidas devem realizar?

 

Veja mais