Saúde sem Tabu #12 | Violência contra a mulher: mas por que você não denunciou antes?

A violência contra a mulher pode acontecer de várias formas, por isso é tão difícil para elas reconhecerem quando estão em uma relação abusiva. Saiba como ajudar.

Mariana Varella

Mariana Varella é editora-chefe do Portal Drauzio Varella. Jornalista de saúde, é formada em Ciências Sociais e pós-graduanda na Faculdade de Saúde Pública da USP. Interessa-se por saúde pública e saúde da mulher. Prêmio Especialistas Saúde 2021 e Prêmio Einstein Colunista +Admirados da Imprensa de Saúde e Bem-Estar 2021 @marivarella

Compartilhar

Publicado em: 20 de agosto de 2021

Revisado em: 24 de agosto de 2021

A violência contra a mulher pode acontecer de várias formas, por isso é tão difícil para elas reconhecerem quando estão em uma relação abusiva. Saiba como ajudar.

 

 

 

Dependência financeira, frases que colocam para baixo, acusação de traições, xingamentos em público… Além da agressão física, a violência contra a mulher se dá de diversas outras maneiras. Segundo o Datafolha, 1 em cada 4 mulheres brasileiras afirma ter sofrido algum tipo de agressão durante a pandemia.

Esse número, já bastante alarmante, representa apenas aquelas que reconheceram o ataque sofrido. Como muitos comportamentos violentos são naturalizados em nossa sociedade, é difícil para elas perceberem e denunciarem esses casos. Para entender melhor como isso acontece e a importância de ajudar as vítimas nessa situação, Mariana Varella entrevista Mafoane Odara, psicóloga e consultora de diversidade e inclusão no universo corporativo.

Ouça também no YouTube:

Veja também: Violência contra mulheres vai além do físico | Live

Veja mais