Mulher

Causas da cólica menstrual

mulher deitada com mão no abdômen, com dor. Cólicas menstruais afetam muitas mulheres

As causas da cólica menstrual têm a ver com a contração do útero para expulsar o endométrio em forma de sangramento na menstruação. Saiba mais.

 

Segunda-feira, 6:30h da manhã, o despertador toca, mas você não tem coragem de sair da cama, pois sente cólicas menstruais terríveis e tem a impressão de que a qualquer momento algo vai sair  do seu útero por causa das contrações. A cabeça dói, o abdômen fica inchado e o remédio demora a fazer efeito. O problema afeta cerca de 80% das mulheres em algum momento da vida, segundo dados de uma pesquisa feita por um laboratório farmacêutico.

A primeira dica é investigar as possíveis causas da cólica menstrual, pois a dor pode ser sinal de algo mais sério como má formações uterinas,  endometriose, miomas, entre outras. Se após exames preventivos o ginecologista chegar à conclusão de que é uma dismenorreia essencial, ou seja, a cólica está relacionada aos eventos que antecedem a menstruação e não há interferência de outras enfermidades, o mais recomendado é utilizar medicamentos específicos para a dor. A ginecologista  Marta Curado sugere que três dias antes de ficar menstruada, a mulher tome, a cada 8 ou 12 horas (dependendo da orientação do médico), anti-inflamatórios não hormonais que vão impedir que o útero se contraia.

 

Veja também: 6 fatos sobre endometriose

 

”A ideia é evitar que os sintomas apareçam. Os anti-inflamatórios vão inibir a ação da prostaglandina, que causa as contrações. Na verdade, o útero se contrai para expulsar o endométrio (revestimento interno do útero), em forma de sangramento, quando o óvulo não foi fecundado”, explica Curado.

Em relação aos inchaços, o ginecologista Donizetti Ramos dos Santos explica que a partir da ovulação, o ovário passa a produzir mais progesterona, hormônio que retém mais sódio e água. “Por isso a mulher se sente inchada e até as mamas ficam mais sensíveis. Pode haver também alterações em vasos sanguíneos e artérias, que podem causar vasodilatação, responsável pela dor de cabeça que faz parte da TPM (Tensão Pré-Menstrual).”

 

DIU ajuda a evitar as cólicas

 

Para evitar as cólicas, a pílula anticoncepcional também pode ser uma arma poderosa, além de ser um método eficaz de contracepção. Alguns medicamentos permitem que a mulher fique totalmente sem menstruar. Mas, para algumas, os efeitos colaterais como dor de cabeça, náuseas e inchaço são bastante recorrentes.

Na opinião do médico, o DIU (dispositivo intrauterino ) de progesterona é uma das melhores ferramentas da medicina para acabar com esse problema específico da mulher. “Em um procedimento rápido, o dispositivo é inserido pelo ginecologista no útero da mulher. A progesterona é liberada diariamente durante um período de cinco anos. A maioria das mulheres para de menstruar e todos os sintomas da TPM vão embora. Se ela quiser engravidar, basta pedir para o ginecologista retirar o DIU e a menstruação volta normalmente. O dispositivo não atrapalha nada, nem as relações sexuais”, explica.

Sobre o autor: Juliana Conte

Juliana Conte é jornalista, repórter do Portal Drauzio Varella desde 2012. Interessa-se por questões relacionadas a manejo de dores, atividade física e alimentação saudável.