Infectologia

Vírus

Vírus e homens | Artigo

Os vírus só sobrevivem se parasitarem outros organismos. A variedade de doenças que podem causar é enorme, desde as que se curam espontaneamente até outras que exigem tratamento para a vida toda.

 

Vírus são organismos acelulares, ou seja, não são constituídos por células mas por uma cápsula proteica que envolve seu material genético, que  pode ser uma molécula de DNA ou RNA ou ainda os dois juntos. Alguns vírus, além da cápsula, possuem um envelope de lipídios que reforça sua proteção.

Os vírus são parasitas obrigatórios, o que quer dizer que só sobrevivem se estiverem em um organismo, pois se utilizam das organelas das células do hospedeiro para se reproduzir. O vírus infecta a célula, multiplica-se e a destrói, espalhando suas “cópias” para células sadias, onde o processo se repete.

As infecções por vírus caracterizam enfermidades muito diversas, desde gripes simples até doenças mais graves, como febre amarela, raiva e aids. A forma de contaminação varia. Em muitos casos, há um vetor (comumente um mosquito), ou seja, um hospedeiro intermediário que facilita a disseminação da doença. Em outros, o contato com fluidos ou com o próprio ar contaminado funciona como meio de transmissão.

Como os vírus utilizam células do hospedeiro para se reproduzir, não é fácil matá-lo, portanto a forma mais eficaz de controlar as doenças virais é evitando seu contágio por meio de vacinas e medidas de higiene. O uso indiscriminado de antibióticos, além de ineficaz no tratamento de doenças virais, pode tornar as bactérias resistentes a esses medicamentos.

Sobre o autor: Tainah Medeiros

Tainah Medeiros é jornalista com foco em saúde, atuou como repórter de 2011 a 2016 no Portal Drauzio Varella. Hoje, é a responsável pelas Redes Sociais do dr. Draw. <três