Coronavírus

Por que os efeitos colaterais da vacina da AstraZeneca têm sido mais frequentes?

frascos da vacina da AstraZeneca sobre mesa de madeira. A vacina causa efeitos colaterais

Os efeitos colaterais da vacina da AstraZeneca passaram a ser relatados com mais frequência. Por quê?

 

Dor no corpo e no local da aplicação, calafrios, febre, náuseas, cansaço. Esses são alguns dos efeitos colaterais relatados por pessoas que tomaram a vacina contra a covid-19 da fabricante AstraZeneca, desenvolvida em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Veja também: Artigo do dr. Drauzio sobre a proteção das vacinas

Mas se a vacina já vem sendo aplicada no Brasil desde janeiro de 2021, por que temos a impressão de que só agora o imunizante tem causado efeitos colaterais? Essas reações são prejudiciais à saúde?

 

Mais jovens

 

Em pessoas mais jovens, é mais comum que ocorram reações após a vacinação porque a resposta imunológica provocada pelos imunizantes é mais robusta nessa população.

Como a vacinação no Brasil começou com os grupos prioritários, entre eles as pessoas acima de 65 anos, os relatos de efeitos colaterais eram mais raros. A vacinação avançou entre os que têm menos de 60 anos apenas nos últimos dois meses, assim os relatos de reações desagradáveis se tornaram mais frequentes.

Isso não significa, no entanto, que a vacina seja mais “agressiva” para os jovens, apenas que a resposta desse grupo costuma ser mais potente e os efeitos colaterais, mais comuns e intensos. O próprio laboratório relatou isso na publicação dos estudos de fase 3 da vacina.

Dos imunizantes disponíveis no país, o que costuma causar menos efeitos colaterais é a CoronaVac, da Sinovac/Instituto Butantan. No entanto, a ocorrência ou ausência de reações após a vacinação não tem nenhum significado relevante em relação à eficácia das vacinas.

As demais vacinas contra a covid-19 podem causar reações tanto na primeira quanto na segunda dose, às vezes em ambas, com intensidade variável.

“Todas as vacinas podem causar efeitos colaterais, como dor no local da aplicação e alguns efeitos que chamamos de sistêmicos, como dor no corpo, dor de cabeça e febre. Esses efeitos são transitórios, começam entre mais ou menos 24 e 48 horas após a vacinação, duram uns dois dias e melhoram sozinhos. É bem melhor passar por eles do que passar pela covid-19”, explica a dra. Vivian Avelino-Silva, infectologista, pesquisadora e professora da FMUSP e da Faculdade Albert Einstein.

 

Sintomas da vacina ou de covid-19?

 

É importante dizer que as vacinas disponíveis não utilizam vírus vivo atenuado, como a vacina contra a febre amarela. Portanto, elas não têm capacidade de causar covid-19.

Contudo, como as taxas de transmissão da doença estão muito altas no país, uma pessoa pode estar, infectada pelo vírus ao tomar a vacina ou contrair a covid-19 nos dias seguintes à vacinação, confundindo os sintomas e atribuindo-os erroneamente à vacina.

“Os efeitos da vacina são leves e transitórios. Se os sintomas persistirem por mais de 48 horas, aí vale procurar um médico, mas não é para deixar de tomar vacina por causa disso”, conclui a dra. Vivian.

 

Sobre o autor: Mariana Varella

Mariana Varella é editora-chefe do Portal Drauzio Varella. Jornalista de saúde, é formada em Ciências Sociais e pós-graduanda na Faculdade de Saúde Pública da USP. Interessa-se por saúde pública e saúde da mulher. @marivarella

Leia mais