Primeira infância (até 6 anos) exige convivência olho no olho

Na primeira infância, o acolhimento dos pais e o estímulo a brincadeiras ao ar livre são fundamentais para o desenvolvimento da criança.

Drauzio Varella é médico cancerologista e escritor. Foi um dos pioneiros no tratamento da aids no Brasil. Entre seus livros de maior sucesso estão Estação Carandiru, Por um Fio e O Médico Doente.

Compartilhar

Na primeira infância, o acolhimento dos pais e o estímulo a brincadeiras ao ar livre são fundamentais para o desenvolvimento da criança.

 

Atualmente, a falta de tempo e o uso excessivo das tecnologias digitais limitam o contato dos pais com os filhos. No entanto, logo na primeira infância – isto é, até os 6 anos -, esse convívio já se mostra imprescindível para o desenvolvimento adequado da criança. Além disso, o pediatra sanitarista Daniel Becker explica que o uso de celular e tablets ainda nessa fase pode ser muito prejudicial para o desenvolvimento da linguagem e de relacionamentos.

Assista à conversa do especialista com o dr. Drauzio e saiba quais outros cuidados são essenciais nesse período.

Veja também: Infância de 0 a 2 anos: cuidados e desenvolvimento

Veja mais

Sair da versão mobile