Drauzio Varella

Prevenção do câncer de cólon | Artigo

paciente realiza colonoscopia, exame importante para a prevenção do câncer de intestino

A prevenção do câncer de intestino é muito precária entre nós. Grande número de mulheres e homens só chega ao diagnóstico quando os tumores já se encontram em fase avançada de crescimento ou estão disseminados. 

 

Caracteristicamente, o câncer de intestino se desenvolve a partir de lesões precursoras: os pólipos, estruturas geralmente em forma de cogumelo que fazem saliência na mucosa do intestino grosso: cólon, sigmoide e reto. Tumores malignos no intestino delgado (duodeno, jejuno e íleo) são raros.

Na fase inicial, os sintomas costumam ser vagos ou inexistentes. À medida que o tumor cresce, podem aparecer laivos de sangue nas fezes — muitas vezes atribuídos equivocadamente às hemorroidas –, cólicas e quadros de diarreia seguidos de prisão de ventre. Episódios de diarreia alternados com períodos de obstipação são especialmente suspeitos.

Veja também: Artigo do dr. Drauzio sobre colonoscopia

No passado, a prevenção ficava limitada à pesquisa de sangue oculto nas fezes, exame através do qual é possível detectar a presença de hemácias.

Quando o resultado era positivo ou havia suspeita clínica de câncer, contávamos apenas com o raio X feito após administração de contraste por via oral ou retal, para confirmar a presença da lesão instalada.

O advento dos fibroscópios flexíveis revolucionou o campo da prevenção, porque tornou possível examinar as porções mais baixas do intestino (reto e sigmoide) através da retossigmodeoscopia de forma simples e segura, no próprio consultório, e desenvolver a colonoscopia, realizada sob sedação, com aparelhos capazes de visualizar o cólon inteiro, do reto à válvula íleocecal, localizada na fronteira com o íleo.

Ao contrário dos raios X, a colonoscopia não é simples exame diagnóstico; os colonoscópios são dotados de um dispositivo em forma de garra que lhes permite retirar os pólipos eventualmente presentes.

Perdi a conta de quantos pacientes com câncer de cólon ouvi dizer que teriam feito colonoscopia caso seus médicos tivessem solicitado.

Se todas pessoas em idade de risco fossem submetidas à colonoscopia de rotina, com ressecção de todos os pólipos encontrados, ninguém mais teria câncer de cólon ou reto.

Em 6 de março, o American College of Physycians publicou no “Annals of Internal Medicine”, as novas recomendações para a prevenção do câncer de intestino:

Perdi a conta de quantos pacientes com câncer de cólon ouvi dizer que teriam feito colonoscopia caso seus médicos tivessem solicitado.

Sair da versão mobile