Para orientar médicos e familiares, tabelas com a progressão das perdas cognitivas foram elaboradas. Conheça no artigo do dr. Drauzio.

 

Demência é uma doença progressiva e incurável. O último ano de vida é caracterizado pela deterioração gradativa de múltiplas funções fisiológicas e cognitivas.

Um estudo que acompanhou, durante 18 meses, 323 pacientes com demência avançada internados em “casas de repouso”, revelou que a mediana de sobrevida foi de 1,3 ano.

As complicações clínicas mais prevalentes foram: dificuldade de alimentação (86% dos pacientes), quadros febris (53%) e pneumonias (41%).

É difícil calcular a expectativa de vida do doente. Para orientar médicos, cuidadores e familiares foram organizadas as tabelas abaixo. A tabela 1 coloca em ordem crescente a perda das funções fisiológicas e cognitivas. Na tabela 2, estão as condições clínicas mais prevalentes na demência avançada.

 

Tabela 1: Estágios funcionais

 

Estágio 1: Nenhuma dificuldade subjetiva ou objetiva.

Estágio 2: Queixas subjetivas de esquecimento.

Estágio 3: Redução da capacidade de trabalho evidente aos colegas e dificuldade de viajar para locais novos.

Estágio 4: Dificuldade para realizar tarefas complexas (bancárias, jantares para amigos, etc.).

Estágio 5: Requer assistência para escolher as roupas adequadas à ocasião.

Estágio 6a: Não consegue vestir-se sem ajuda ocasional ou frequente.

Estágio 6b: Não consegue tomar banho sem ajuda ocasional ou frequente.

Estágio 6c: Não consegue usar o banheiro sem ajuda ocasional ou frequente.

Estágio 6d: Incontinência urinária ocasional ou frequente.

Estágio 6e: Incontinência fecal ocasional ou frequente.

Estágio 7a: Fala limitada a menos de seis palavras inteligíveis, no decorrer de um dia típico.

Estágio 7b: Fala limitada a uma palavra inteligível no decorrer de um dia típico.

Estágio 7c: Incapaz de andar sozinho.

Estágio 7d: Incapaz de sentar-se sozinho.

Estágio 7e: Incapaz de sorrir.

Estágio 7f: Incapaz de segurar a cabeça.

 

Tabela 2: Complicações clínicas nos últimos 12 meses

 

1) Pneumonia por aspiração.

2) Pielonefrite e outras infecções do trato urinário superior.

3) Sepse

4) Febre recorrente resistente aos antibióticos.

5) Múltiplas úlceras de decúbito.

6) Alimentação ou hidratação insuficiente para manter a vida (no caso de alimentação por sonda: perda de peso >10% nos últimos 6seis meses ou albumina no sangue <2,5 g/dL).

Obs: Os estudos não mostram benefícios da alimentação por sonda.

As diretrizes do Medicare americano estimam que ao atingir o estádio 7c da tabela 1, os pacientes que já apresentaram pelo menos duas das complicações previstas na tabela 2, tenham menos de seis meses de sobrevida.