Câncer de colo de útero e HPV: qual a relação? | Desenrola

Vacinação de crianças contra o HPV não incentiva o início da vida sexual, mas protege as meninas contra o risco de câncer de colo de útero no futuro.

Drauzio Varella é médico cancerologista e escritor. Foi um dos pioneiros no tratamento da aids no Brasil. Entre seus livros de maior sucesso estão Estação Carandiru, Por um Fio e O Médico Doente.

Compartilhar

Vacinação de crianças contra o HPV não incentiva o início da vida sexual, mas protege as meninas contra o risco de câncer de colo de útero no futuro.


O câncer de colo de útero é o segundo mais incidente entre a população feminina brasileira, atrás apenas do câncer de mama. Apesar de ser facilmente prevenível, ele afeta quase 15 mil mulheres por ano. O principal causador é o HPV, vírus transmitido através da relação sexual (vaginal, anal ou oral) desprotegida.

Quando não identificado de precocemente, a chance do HPV virar um tumor aumenta – principalmente no caso dos subtipos 16 e 18, responsáveis por 70% dos cânceres de colo de útero. Para prevenir, é importante ir ao ginecologista pelo menos uma vez ao ano e vacinar as crianças antes que cresçam e iniciem a vida sexual, quando estarão mais expostas ao vírus. Assista no vídeo o que diz o dr. Drauzio.

Veja também: Eficácia e segurança da vacina contra o HPV são comprovadas

Veja mais

Sair da versão mobile