Nenhuma criança ou adolescente morreu por conta da vacina | Coronavírus

Se você vir uma notícia que diga o contrário, saiba que é fake news.

Drauzio Varella é médico cancerologista e escritor. Foi um dos pioneiros no tratamento da aids no Brasil. Entre seus livros de maior sucesso estão Estação Carandiru, Por um Fio e O Médico Doente.

Compartilhar

Se você vir uma notícia que diga o contrário, saiba que é fake news.

 

Quando o dr. Drauzio era pequeno, teve sarampo, caxumba, catapora, difteria e várias outras doenças consideradas “da infância” à época. Depois que as vacinas surgiram, tais doenças praticamente desapareceram. Ele não imaginava que, anos depois, surgiriam pessoas contrárias à vacinação.

Durante a pandemia da covid-19, não faltaram boatos sobre os problemas que a vacina poderia causar, como supostos relatos de pessoas que passaram mal ou até vieram à óbito. Mas um levantamento do próprio Ministério da Saúde veio para desmentir essas fake news: a conclusão foi a de que nenhuma criança morreu depois de tomar o imunizante.

Por isso, fica a dica: tome a vacina e leve os seus filhos para vacinar.

Veja também: Anvisa estabelece diretrizes para vacinação de crianças contra a covid-19

Veja mais

Sair da versão mobile